10 fatos sobre Milão

Toda a cidade é feita de muitas curiosidades, mais ou menos interessantes para locais e turistas, mas que quase sempre são importantes para entender certos contextos e porquês do lugar. Em março, foi lançado no snapchat (o meu é: milaonasmaos) um desafio de mostrar 50 fatos sobre a própria cidade. Eu acabei os dividindo em 2 dias e agora resolvi fazer um post reunindo 10 fatos sobre Milão.

Quem segue o blog, com certeza já conhece vários deles. Para aprofundar em cada um, clique nos links para os posts escritos sobre eles.

1. MILÃO É FEITA DE CÍRCULOS

Sim, Milão é uma cidade circular feita de 3 anéis (hoje, viários). Os dois mais internos correspondem as antigas muralhas medievais (século 13) e espanhola (metade século 16) e a mais externa faz parte do ampliamento da cidade no final do século 19.

2.MILÃO AINDA TEM 5 DAS SUAS 6 PORTAS

A Milão murada sempre foi dividida em 6 ‘bairros’, que correspondiam as 6 portas da cidade: Porta Nuova, Porta Orientale (hoje Venezia), Porta Romana, Porta Ticinese, Porta Vercellina e Porta Comasina (hoje Garibaldi).

A única que não existe mais atualmente, é Porta Vercellina e de duas delas, ainda temos as versões (restauradas) medievais: Porta Nuova e Porta Ticinese.

3.MILÃO NÃO TEM SHOPPING MAS TEM CORSO BUENOS AIRES

Quem procura os grandes centros comerciais aqui ou em qualquer cidade italiana, vai ficar decepcionado. O que predomina é o comércio de rua.

Milão tem vários eixos de concentração de lojas, como já contei nesse post, mas o mais longo deles, é Corso Buenos Aires, que fica ao logo na linha vermelha do metrô.

4.MILÃO TEM O QUADRILÁTERO DA MODA E TAMBÉM O DO SILÊNCIO

O quadrilátero de ruas mais famoso do mundo, é o da moda em Milão. Mas a cidade tem um outro, menos conhecido e onde o burburinho das lojas de grife dá lugar a mansões de arquitetura Liberty (início do século 20) e jardins com flamingos rosas.

quadrilatero_silencio_milao

O Quadrilátero do Silêncio é um conjunto de ruas perto de Corso Venezia, que todo turista deveria incluir em uma viagem a Milão.

5.EM MILÃO O FAST FOOD MAIS FAMOSO NÃO É AMERICANO

Quem quer comer rápido, barato e autêntico na cidade, não vai ao Mc Donald’s e sim ao famoso Luini, que serve seu panzerotto, um tipo de pastel frito com tomate e mozzarela de búfala como recheio.

6.MILÃO TEM UMA SALA DE ESTAR

Considerada por muitos um dos primeiros shoppings do mundo, a Galeria Vittorio Emanuele é um dos lugares de prestígio da cidade e chamada pelos milaneses ‘Il Salotto di Milano’, a sala de estar da cidade.

Completamente comercial, foi construída entre 1865-77 para abrigar cafés, restaurantes e lojas de luxo.

7.EM MILÃO FICA A ÚLTIMA PIETÀ DI MICHELANGELO

O artista toscano nunca passou por Milão, mas a escultura que é considerada a sua última obra (encontrada na casa do artista quando ele morreu), umas das 3 Pietàs que ele esculpiu, foi comprada pela Prefeitura de Milão no pós-guerra e fica exposta na enfermaria espanhola no Castelo Sforzesco.

Junto com a Última Ceia, de Leonardo Da Vinci, a Pietà Rondanini é uma daquelas obras obrigatórias de se visitar.

8.MILÃO É ‘A CASA’ DA ÚLTIMA CEIA

Recebido pelo último duque de Milão, Leonardo Da Vinci chega na cidade em 1482 e aqui passa 18 anos.

Entre todas as obras que realizou para Ludovico Sforza, a mais famosa mundialmente é a Última Ceia, realizada em uma das paredes (não é um quadro) do refeitório do monastério dominicano de Santa Maria delle Grazie.

Patrimônio Unesco, a visita da famosa obra de Da Vinci requer uma grande dose se organização, como já contei nesse post.

9.MILÃO TEM OS ARRANHA CÉUS MAIS NOVOS E ALTOS DA ITÁLIA

Com a reurbanização da área de Porta Nuova há 5 anos e a inauguração da Praça Gae Aulenti, Torre Unicredit e Bosque Vertical, Milão se verticalizou como nenhuma outra cidade italiana.

porta_nuova_milao

Mas o prédio mais alto da cidade fica em uma outra área recuperada, onde antes funcionava a feira de Milão e hoje abriga o bairro City Life, com os projetos dos arquitetos estrelas Ysozaki, Hadid e Libeskind.

10.MILÃO TINHA BANHEIROS PÚBLICOS QUE ERAM VERDADEIROS SPA’s

Hoje completamente fechados, os banheiros públicos da cidade funcionaram até pouco depois do final da guerra e tinham uma função importante na infraestrutura que a cidade oferecia aos residentes e viajantes que passavam por aqui.

Um dos mais elegantes e bem decorados ficava embaixo da Piazza Oberdan (Porta Venezia) e poucas vezes abre para visitação do público. Quem quiser conhecer mais sobre ele, leia esse post.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *