8 curiosidades sobre Milão

Quando viajamos e conhecemos uma cidade nova, nos deparamos com nomes, monumentos, tradições turísticas e detalhes que na grande maioria das vezes não sabemos de onde vem.

Foi pensando nessas pequenas curiosidades, que resolvi escrever um post (o primeiro) contando um pouco do porque de muitas coisas que os turistas e também locais vêem em Milão. Bom ‘tour’.

QUAL A ORIGEM DO NOME DE MILÃO?

O nome em latim da cidade, em época romana era Mediolanum, mas sobre a origem do nome as ‘lendas’ são muitas e fica difícil saber qual é realmente a certa.

Existe a versão que o vilarejo que deu origem a cidade, tenha sido fundado por dois comandantes etruscos Medo e Olano. Já uma outra versão fala que a cidade foi fundada pelo gálico Belloveso onde ele encontrou uma porca peluda (scrofa) de pelo médio: medium lanum.

Ainda tem a versão celta do nome, que o atribui a sua localização em meio a planice padana (mediol planum) ou seja, cidade no meio.

A única certeza, é que a Milão de hoje e seu nome tem origens antes de Cristo.

QUANTAS AGULHAS TEM O DUOMO?

Símbolo de Milão e no imaginário de cada turista, o Duomo encanta quem chega na praça principal da cidade.

Parte desse encantamento, é a riqueza da decoração escultórica e das centenas de agulhas que parecem tocar o céu.

agulhas Duomo Milão

Já parte do projeto original, as agulhas começaram a ser colocadas durante o século 19, com excessão da agulha Carelli, a mais antiga, colocada na catedral já no século 15.

As famosas agulhas que foram protagonistas do primeiro skyline da cidade são 135, a maior parte deles são estátuas de santos e profetas.

O QUE SÃO AS `VIUVINHAS`?

Espalhados pelas praças e parques da cidade, os bebedouros verdes de Milão são a salvação de locais e turistas nos dias quentes de verão e tem esse nome (vedovelle)  porque a água que corre lembra o choro incessante de uma viúva.

Antigamente, os milaneses também se referiam a eles como Drago Verde (dragão verde), por causa da torneirinha que é uma cabeça de dragão.

Feitos em ferro fundido pintado de verde, eles foram desenhadas em 1931 e hoje a cidade ainda conta com cerca de 481 bebedouros. O mais antigo é o da Praça Scala.

E antes que eu me esqueça: a água é potável, pode beber.

QUAL É A PLATAFORMA MAIS CONHECIDA DA ESTAÇÃO CENTRAL?

Quase sempre apressados, turistas e locais que embarcam ou desembarcam na Estação Central de Milão muitas vezes nem sabem que ali, entre as plataformas, tem uma ‘famosa’, infelizmente por estar ligada a um triste fato da história recente europeia.

Como já contei nesse post, a plataforma que hoje leva o número de 21, era a ussada para transportar os judeus italianos aos campos de concentração e extermínio de Auschwitz e Mauthausen.

A plataforma

No subsolo da plataforma 21, ficava o espaço usado para o carregamento dos vagões que transportavam correspondências, mas nos anos da guerra, esse espaço longe da vista de todos, era usado para carregar as pessoas nos vagões dos chamados trem da morte.

Hoje, o espaço é o interessante Memorial da Shoah  e conta um pouco das atrocidades cometidas a poucos metrôs dos milaneses que iam e vinham passando pela estação.

POR QUE O TEATRO ALLA SCALA TEM ESSE NOME?

O famoso teatro lírico milanês foi construído em época austríaca (1774), mas seu nome tem origem em uma grande família medieval.

Porque é lá no século 14, que uma donzela da família dos senhores de Verona, os Scalla, vem para Milão para se casar com o temido Bernabò Visconti.

Humildemente, em vestes de senhora de Milão, Maria Regina della Scala constrói onde hoje é o teatro, a igreja de Santa Maria della Scala, que sobreviveu 4 séculos, até uma outra Maria, dessa vez a imperatriz austríaca Maria Tereza, demolir a igreja para construir um teatro digno de uma cidade do império.

O teatro pega assim, o nome da antiga igreja e é batizado como Teatro alla Scala, com o preposição ‘alla’ que está para o nosso ‘na’, fazendo referência à construção eclesiástica.

QUAL É A IGREJA QUE TEM UMA ABSIDE FALSA?

Eu costumo dizer que Milão é uma cidade de belezas escondidas, feita de tesouros secretos. É assim com os pátios internos dos palácios da cidade, os jardins posteriores e de pequenos detalhes difíceis de perceber para os turistas iniciantes, menos preparados.

E um desses pequenos detalhes está na igreja de Santa Maria em San Satiro, a poucos passos da Praça Duomo.

satiro_milao

Construída a partir de 1478, anexando uma capela já existente desde o século 9, o arquiteta renascentista Donato Bramante teve que encarar o problema do espaço, já que atrás passava a Via Falcone.

Sem espaço para construir um verdadeiro altar, Bramante realizou uma das mais bonitas e surpreendentes ilusões óticas do Renascimento italiano. Entrando na igreja e observando o altar, é difícil perceber que o que vemos é um espaço de apenas 90cm.

É só se aproximando do fundo da igreja e olhando lateralmente que percebemos que a abside falsa foi pintada com uma perspectiva perfeita.

POR QUE OS TURISTAS DÃO VOLTAS NO TOURO DA GALERIA?

Todos os dias, centenas de turistas de passagem pela belíssima Galeria Vittorio Emanuele se dirigem ao mosaico de um touro colocado em um dos lados do octógono.

Pacientemente esperam a vez deles para esmagar com o calcanhar do pé direito, as parte baixas do pobre animal (o touro é o brasão da cidade de Turim) dando três voltinhas.

A tradição era que os milaneses fizessem esse gesto supersticioso só uma vez por ano, mais exatamente à meia-noite do dia 31 de dezembro, esmagando e deixando para trás o ano que estava terminando.

POR QUE NO PISO DO DUOMO TEM OS SIGNOS DO ZOODÍACO?

Dá para contar nos dedos de uma mão os turistas que entram no Duomo de Milão e, atravessando a porta, reparam no longo friso dourado colocado no piso decorado com os signos do zodíacos.

A meridiana do Duomo é um calendário e relógio solar, colocada na catedral no final do século 18 quando o governo austríaco instituiu a reforma das horas e a necessidade de se calcular com precisão o meio-dia solar.

milão curiosidades

Todos os dias, ao meio-dia, um raio de luz entra por um furo minúsculo colocado no teto da nave direita e bate na meridiana marcando a hora e o período do mês.

1 responder
  1. Rodrigo Spolidoro says:

    Otimas informaçoes, parabéns e muito obrigado… Se precisar de uma companhia para fotografar lugares assim, seria um prazer. Fins de semana normalmente estou livre, é so avisar la no Face.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *