A Galeria Vittorio Emanuele

Depois da Praça Duomo e a sua catedral, no imaginário dos turistas é impossível pensar em Milão e na sua praça e não pensar na Galeria Vittorio Emanuele. A maioria de nós, que mora na cidade, a atravessamos na correria do dia-a-dia olhando direto para o outro lado, em direção a Praça Scala. Uma pena, já que é um deleite se perder olhando para cima, onde a Galeria mostra todo o seu esplendor, principalmente chegando ao centro do magnifico edifício em forma de cruz com a sua belíssima cúpula em ferro e vidro que cobre a parte octogonal.

Chamada pelos milaneses de antigamente e de hoje de “O Salão de Milão”, ela foi pensada para ser um corredor chic e coberto que unisse as duas praças. Por alí, no início do século XX os burgueses da cidade desfilavam, conversavam e jantavam antes dos espetáculos do Teatro alla Scala.

Galeria Vittorio Emanuele (entrada praça Duomo)

Construída entre 1865 e 1877 com teto de ferro e vidro, como as novas construções arquitetônicas na Europa naquela época (como o Crystal Palace em Londres), o edifício hospeda ainda hoje cafés e restaurantes históricos de Milão como o Biffi, Il Camparino e o luxuoso Savini, lojas de moda como Prada, Louis Vuitton, Tod´s e até pouco tempo atrás o famoso fast food americano. Todos os estabelecimentos devem ter seus nomes do lado de fora escrito em dourado com fundo preto. Nem o fast food e seu logo inconfundível escaparam dessa regra.

Em agosto de 1943 durante a Segunda Guerra Mundial a Galeria não foi poupada dos bombardeios ingleses e foi quase que completamente destruída junto com outros edifícios da cidade. A reconstrução dos anos seguintes trouxe de volta todo o seu esplendor.

Quando estiver em Milão a dica é atraversá-la sem pressa, prestando atenção em cada detalhe e olhando também para cima e não se esqueça de passar pelo touro a mosaico no chão (à esquerda do octagono indo em direção da Praça Scala) e com o calcanhar do pé direito nos testiculos do animal dar 3 voltas inteiras. Dizem que dá sorte. É pura superstição, mas todo mundo faz.

Para uma visão de cima do octágono, suba até a Pasticceria Marchesi (em cima da Prada Uomo) para tomar um cafezinho (mesmo em pé) e xeretar essa beleza lá de cima.

 

4 respostas
  1. Luciana says:

    Na minha primeira visita dei minhas tres voltinhas pisando nos testiculos do rapaz! kkk .. Basico nè? A galeria è muito linda, parada obrigatòria mesmo.

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] da Catedral (Duomo) na extensa praça povoada de turistas e artistas de rua, com a vizinha Galleria Vittorio Emanuelle I. Dois templos, o da religião católica e o do consumo conspícuo, lado a lado recebendo turistas […]

  2. […] Lá, conheci a pinacoteca que tem o melhor acervo de arte de Milão, a Praça de la Escala, a  Galeria Vittorio Emanuele que foi o primeiro shopping do mundo, a Catedral Duomo que é o cartão postal da cidade com sua […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *