A Pinacoteca de Brera

Apesar das recentes aberturas do Museu Novecentos e da Gallerie d’Italia, apesar da maior notoriedade que a exposição dos Códigos Atlânticos de Da Vinci tenha dado a Pinacoteca Ambrosiana, o museu com mais prestígio de Milão é, com certeza, a Pinacoteca de Brera.

Patio Pinacoteca Brera Milao

Situada no primeiro andar do antigo Palácio de Brera, faz parte do complexo que reúne outras instituições como a Academia de Belas Artes, a Biblioteca Braidense e o Jardim Botânico. O bairro homônimo foi, no passado, um dos mais característicos graças aos artistas que frequentavam a Academia e o seu estilo boêmio feito de bares e bordéis. Hoje, é ainda um dos bairros característicos de Milão, mas por outros motivos: ainda é um bairro boêmio e ponto de referimento para a noite milanesa, mas os decadentes bordéis deixaram espaços para galerias de arte e lojas descoladas. Assim, o bairro virou um dos lugares mais chiques e in da cidade.

O Palácio de Brera foi um convento de jesuítas no século 16 e já abrigava um centro de estudos. Durante a dominação austríaca em Milão, a imperatriz Maria Teresa d’Austria baniu os jesuítas e em 1776 fundou a Academia de Belas Artes. A Pinacoteca nasceu iniciamente com finalidades didáticas: deveria constituir uma coleção de obras (moldes e pinturas) que os estudantes da Academia podiam usar como modelos.

Com a chegada dos franceses, por vontade de Napoleão, nos primeiros anos do século 19 a Pinacoteca se transformou em um museu que tinha a intenção de expor as obras mais significativas dos territórios conquistados pelas armadas franceses. Em particular, abrigou numerosos quadros e afrescos descolados que pertenciam às igrejas e conventos banidos pelo novo governo. A Pinacoteca de Brera, diferente de outros museus, como a Pinacoteca Ambrosiana, o museu Poldi Pezzoli ou o Bagatti Valsecchi, não nasceu do colecionismo privado mas de uma coleção do governo. O aumento dessa continuou com doações, trocas e aquisições, como por exemplo, a belíssima Ceia em Emaus de Caravaggio.

Brera Milao Ceia em Emaus Caravaggio

Na história da cidade, os milaneses sempre foram doadores  generosos: em 1982 a familia Jesi doou à Pinacoteca uma rica coleção de 60 obras dos maiores artistas italianos do ínicio do século 20 (entre eles, Boccioni, Modigliani, Morandi e Martini) e alguns estrangeiros, como Picasso. Dessa maneira, a Pinacoteca preencheu uma lacuna e hoje permite aos visitantes uma excursão também nas obras do século 20, antes essencialmente ausente no percurso.

Picasso Modiglini Pinacoteca Brera Milao

A coleção Jesi  é só um dos exemplos das obras presentes em Milão que são  frutos de doações e que incluem também obras no Duomo, passando pela Pietà Rondanini de Michelangelo, exposta no Museu de Arte Antiga do Castelo Sforzesco e chegando até muitas das obras expostas no Museu Novecentos.

A Pinacoteca abriga um número incrível de artista e obras primas. A já citada Ceia em Emaus de Caravaggio o e O Casamento da Virgem de Rafaello são só algumas das obras presentes ao lado de outras de artistas como Mantegna, Tintoretto, Bramantino, Bergognone, Bellini, Luini e Hayez.

Casamento da Virgem Rafaello Brera Milao

Para quem está em Milão e aprecia pelo menos um pouco de arte, uma etapa na Pinacoteca de Brera é obrigatória. A visita com um percurso dos quadros mais importantes dura mais ou menos 2 horas.

Pinacoteca di Brera 
Via Brera, 28  
De ter a dom das 8.30 às 19.15
Sextas até as 21.15
Fechada: segundas, 1 janeiro, 1 maio, 25 dezembro
Ingressos: 10 euros (inteiro) e 7 euros (reduzido)
Entrada grátis todo primeiro domingo do mês
Audioguia: 5 euros (disponível em  italiano, inglês, francês, espanhol e alemão)
 

 

9 respostas
  1. Elvira says:

    Mage, bom dia !
    Tudo bem ?
    Estarei em Milão com minha família do dia 21/06 (domingo de tarde) ao dia 24/06 (quarta de manhã), e queria muito visitar a Santa Ceia no dia 23/06, mas não consegui agendar, estou entrando no site diariamente sem sucesso !!!
    Então, minha idéia é aproveitar o dia para ir na Pinacoteca de Brera e circular pela cidade.
    Deixamos o dia anterior, segunda-feira, livre para visitar o Duomo, Galeria Victor Emanuelle e bater pernas. Alguma dica para estes dois dias ? Algum destes passeios, nesta época, exige compra antecipada dos tickets ?
    Um grande abraço e muito sucesso !

    Responder
  2. Maria Alice Benevides says:

    Estou adorando seu site. Irei a Milão em maio 2015. As informações são muito boas. Descobri procurando coisas sobre Milão. Vou ficar hospedada em Corso Garibaldi. O que você acha.Será que a cidade já vai estar muito cheia. Só depois de ter marcado a viagem que descobri a história da EXPO.
    É provável, que depois de ler tudo, eu volte a fazer contato para saber sobre mais alguma coisa. Caso você possa me ajudar, ficarei grata.Abraços, Maria Alice

    Responder
  3. Denise Pattini says:

    Magge, como vai? Já deu pra vc perceber que sigo TUDO, por aqui. Você já escreveu que nesse periodo os canais de Navigli começam a ser drenados. Já começou? Estarei em Milão a partir de 14 de novembro e pelo que vi, não é dificil ir do hotelHOTEL NH GRAND HOTEL VERDI MILÃO Area: Porta Nuova / Garibaldi
    Via Melchiorre Gioia 6 . A pinacote, já esta no roteiro. Beijo

    Responder
    • Mage Santos says:

      Ola Denise,
      Eu te vejo sempre por lá, na página, comentando… Seguidora fiel!
      Sim, os canais não estão no momento em todo o explendor, mas vale a visita na área da mesma maneira, pq tem muito restaurantes e bares legais…
      Vc está no pe na Porta Nuova… Do teu hotel vc vai ver aquele arranha-céu que de vez em qdo eu posto…
      Boa estadia e depois passa lá no Fb pra dizer como foi.
      Bjs

      Responder
  4. Thais says:

    Olá! Adorei seu blog! Estou pegando várias dicas!! A Pinacoteca fecha em Dezembro? Não existe disponibilidade para compras de ingresso para este mês…Obrigada e parabéns!!

    Responder
  5. Natalia says:

    Oi Mage,

    Vou em abril-2015. Já sei o que fazer durante o dia, mas não decidi as noites.
    *terça – área do Duono
    *quarta – ballet no Alla Scala
    *quinta – ?
    *sexta – ?

    Minha ideia inicial era quinta em Brera e sexta em Navigli, mas estou achando que é muita mão-de-obra ir até Navigli (ficarei no Ibis Centro Milano), sem contar q olhei a área pelo GoogleMaps e achei meio feinha. Vale mesmo a pena? (A indicação de restaurante que me deram em Navigli foi o Nazionale)

    Esses dois lugares são bons na terça ou no meio da semana é mais desanimadão?

    PS.: Seu blog está sendo super útil!!!
    Mto obrigada!!!!

    Responder
    • Mage Santos says:

      Natalia,
      Mas é claro que o Navigli vale a pena… Vc vai em abril de 2015, pouco antes da Expo e a cidade vai estar tinindo de nova (ou deveria)…
      Pare de usar Google Maps antes de viajar e estragar a surpresa… Sim, é uma área antiga, alguns muros pichados, mas nada a nível de Brasil e a sua sujeira.
      Não conheço esse Nazionale… Mas lá tem muita coisa legal (Pont de Ferr, El Brelin, Luca e Andrea)…
      Brera tb vale a pena…Ou a zona de Corso Como (na sexta)…
      Nada é longe em Milao e se vc pegar o metro na Centrale (perto do teu hotel), pela linha verde chega a Brera e Navigli…
      E bem, se vc está vindo na semana do Salão do Móvel, então se prepare, pq a cidade bomba e tem eventos e coisas para afzer que não acabam mais.
      Boa estadia

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>