Antigas áreas industriais convertidas para a arte em Milão

Era uma vez uma Milão industrial, cheia de fábricas e galpões que vira uma Milão pós-industrial, cheia de bancos, lojas e escritórios e abandona seus enormes espaços muitas vezes localizados nas ‘periferias’.

Uma cidade tem que se reinventar ao longo de sua história, mas reinventando-se nas atividades primárias a um certo ponto também tem que reinterpretar seus espaços urbanos.

museus_milao

Nos últimos 4 ou 5 anos, a cidade soube reaproveitar as antigas áreas industriais que fizeram parte da sua história de capital econômica do país, transformando-as em grandes e modernos centros de exposições, fundações e museus.

Aqui alguns exemplos de alguns espaços industriais convertidos para a arte em Milão.

HANGARBICOCCA

Os tijolinhos vermelhos à vista e os imensos espaços do HangarBicocca o aproximam muito, do ponto de vista estético, a inglesa Tate Modern.

A construção abrigava a ex sede das industrias Breda, fabricantes de vagões de trem, locomotivas e até aviões e munição durante a Primeira Guerra Mundial.

hangar_bicocca

O pé direito altíssimo dos galpões e as dimensões do lugar permitem a exposição de mostras e instalações que seriam difíceis de ver em outros lugares na cidade, como a colossal obra do artista alemão Anselm Kiefer, os Sete Palácios Celestes, que faz parte da coleção permanente do HangarBicocca.

Dotado ainda de um restaurante e espaço kids, é um lugar pioneiro em Milão e com entrada completamente grátis.

LEIA AQUI O POST SOBRE O HANGARBICOCCA

SILOS ARMANI

O arquivo do famoso estilista, desde abril de 2015, fica exposto no espaço onde antigamente funcionava o armazém de cereais da Nestlé (dai o nome Silos).

O projeto interno mudou bastante o antigo espaço, mas ainda assim recuperou uma construção em um bairro de forte vocação industrial em Milão, a Zona Tortona, onde Armani já tinha seu espaço para os desfiles e show room.

LEIA AQUI O POST SOBRE O SILOS ARMANI E MUDEC

FUNDAÇÃO PRADA

A imensa coleção de arte da proprietária de uma das grifes mais prestigiosas do mundo, desde março de 2015 fica exposta em cerca de 19.000 mt2, onde no início do século 20 funcionava uma destilaria.

Situada numa área que é considerada periferia de Milão, a Fundação Prada tem o mérito de ter não só colocado a disposição da cidade uma variada coleção de arte contemporânea, mas principalmente de ter reutilizado de forma respeitosa um elemento da história industrial de Milão, em um dos projetos mais bonitos e modernos da cidade.

miao_fundacao_prada

O espaço conta também com uma sala de cinema, laboratório para crianças, um bar com projeto assinado pelo diretor Wes Anderson e em breve um restaurante ‘nas alturas’.

LEIA AQUI O POST SOBRE A FUNDAÇÃO PRADA

MUDEC – MUSEO DELLE CULTURE

O novo Museu das Culturas em Milão, projetado pelo famoso arquiteto inglês David Chipperfield, abriga uma coleção permanente e mostras temporárias e fica no antigo espaço da empresa eletromecânica Ansaldo, construído por volta de 1904.

Não podiam faltar também um restaurante, área para crianças e um book shop.

Além do Mudec, a grande área industrial já hospedava os laboratórios de cenografias do Teatro Scala e está pronto para receber o projeto da prefeitura chamado B.A.S.E com um grande espaço cultural dedicado os jovens.

OUTROS ESPAÇOS

Milão ainda conta com espaços menores dedicados a cultura como o Fabbrica del Vapore (antiga indústria de produção de bondes) e o MIC – Museu Interativo do Cinema da cidade, que funciona na ex Manifattura Tabacchi.

fonderie_milanesi

Além dos museus e espaços expositivos, algumas ex áreas industriais, oficinas e galpões estão sendo convertidos em bares e restaurantes, como os mais ou menos recentes Fonderie Milanesi, Carlo e Camilla in Segheria, Impronta Birraia entre outros.

Foto Fonderie Milanesi: Facebook da Fonderie Milanesi

6 respostas
  1. Tania says:

    Oi Magê, conheci seu blog em 2014, procurando o que fazer em Milão com criança. Estava com uma sobrinha de 9 anos. E por sua sugestão, fomos ao Hangar Bicocca. Foi uma experiência maravilhosa!! Coincidiu com uma exposição de vários artistas brasileiros. E foi um passeio super divertido, passamos por momentos lá, que até hoje rende boas risadas e cumplicidade entre a gente! Adorei esse espaço e já voltei lá esse ano e adorei revê-lo no seu snapchat. Obrigada! Abraço!

    Responder
  2. Daphne says:

    Olà Mage! Eu jà havia visto vc em algum lugar do mundo virtual, acho que em algum encontro de brasileiros blogueiros pelo mundo, mas somente hoje vim a te conhecer atravès do video de entrevista do canal Barcelona, e sinceramente, adorei ver voce naquele bate papo.
    Também tenho blog, sou formada em turismo e tbm moro (ha 10 anos) na Lombardia, hehe. Pelo visto, temos algo em comum!
    Sua història è fonte de inspiraçao e seus posts super completos, parabéns pelo profissionalismo!
    Um grande abraço,
    Daphne.

    Responder
  3. Belisa says:

    Olá!! To adorando seu blog!! Comecei a te acompanhar no snapchat tb!^^ Em maio estou indo pra Itália e ficarei dois dias inteiros em Milão! Pensei em conhecer a cidade em um dia e no outro visitar o Lago de Como. Você recomenda dividir os dias assim? Ou seria melhor ficar os dois dias em Milão mesmo? Tenho medo de ficar muito corrido e acabar não vendo direito nenhum dos dois… Obrigada pela ajuda e pelos posts, são muito bons!!^^

    Responder
    • Mage Santos says:

      Oi Belisa,
      Dependendo do que voc~e quiser ver e fazer em Milão, um dia não é nada.
      Vc vai ver o feijão com arroz: centro histórico e máximo Brera!! Eu tenho um roteiro de 1 dia pela cidade.
      Por outro lado o lago de Como é muito bonito… Ou seja, a Lombardia merece mais tempo!!
      Bjs

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *