Bate e volta de Milão para Verona – Roteiro para 1 dia

O bate e volta Milão – Verona é um clássico e um dos mais populares, junto com o Lago de Como para quem está na cidade.

A apenas 1 hora e meia de distância (de trem) de Milão, a graciosa cidade cortada pelo Rio Adige, patrimônio Unesco, atrai turistas de todo mundo pela sua beleza e pela história de amor mais trágica e conhecida do mundo.

Pela proximidade com  Milão, sempre estive na cidade só por um dia, mas faz tempo que estou prometendo a mim mesma um final de semana assim que a temporada de óperas começar na Arena de Verona (junho de todos os anos).

Com os principais monumentos concentrados no centro, Verona é fácil de visitar. Melhor ainda se for durante a primavera ou verão, quando os dias são mais longos e dá para aproveitar mais. Aqui ficam minhas sugestões do que fazer em Verona em 1 dia, se esse for o tempo que você tiver.

Verona Card Cartão

Última vez que estive na cidade, comprei a Verona Card de 24 horas (18 euros), que além de dar direito a usar o transporte público (que usei da estação até Castelvecchio), inclui a entrada aos seguintes monumentos:

  • Anfiteatro Arena
  • Basílica de Santa Anastácia
  • Basílica de San Zeno
  • Casa de Julieta
  • Igreja de San Fermo
  • Duomo de Verona
  • Galeria de Arte Moderna
  • Museus de Castalvecchio
  • Teatro Romano
  • e outros monumentos

O cartão existe também na versão 48 horas (22 euros) e apesar de eu não ter tido tempo de ver tudo, achei que vale a pena. A validade começa a contar da hora da primeira validação no primeiro monumento visitado.

O cartão é vendido em todos os monumentos incluídos nele, nos principais hotéis e algumas tabacarias (tabacchi). Eu comprei o meu assim que cheguei na estação de trem de Verona, na tabacaria que fica no saguão.



CASTELVECCHIO,  ARENA E CASA DA JULIETA

Comece a sua visita pelo Castelvecchio, construção medieval impressionante do tempo que a cidade era governada pela família Scala. O castelo é sede de um dos museus municipais da cidade, mas eu nunca tive a oportunidade de entrar.

Eu entro só para atravessá-lo e para passar pela famosa Ponte Scaligera, para mim uma das mais bonitas da Itália.

ponte scaligiera verona

Dalí é fácil voltar para Piazza Bra, onde fica a Arena de Verona e começa o itinerário mais percorrido pelos turistas.

Construída em torno do século 1 d.C, a arena é um dos anfiteatros romanos mais bem conservados do mundo. Nem precisa dizer que pelo menos uma vez na vida, a entrada é obrigatória, só para imaginar os duelos que eram o deleite do povo há milhares de anos atrás.

Além de ser o monumento símbolo da cidade, no verão a Arena é palco da temporada de óperas da cidade.

Dalí, inevitável pegar Via Mazzini, principal rua de comércio e que leva até Piazza dele Erbe e a Casa de Julieta.

bate e volta Milão Verona Arena

Ao chegar na outra ponta de via Mazzini, vire a direita e comece pela casa da donzela medieval protagonista da famosa e trágica história de amor.

A entrada dá para um pátio, sempre muito cheio, onde fica uma estátua da mocinha que é repetidamente alisada por turistas: dizem que dá sorte passar a mão no seio da pobrezinha.

É do pátio também que se avista a famosa sacada, mas não confunda com Rapunzel, afinal, Julieta não jogou as tranças a Romeu.

A casa em si, não tem nada demais. O mais legal foi imaginar que para ser uma casa de família medieval, dá para perceber que eles eram ricos, porque a casa é grande para a época, dividida em 3 andares. Em um dos quartos, vestidos e móveis de cena usados no filme Romeu e Julieta de Franco Zeffirelli.

Casa da Julieta Verona

Alí, no meio de centenas e milhares de turistas, é que você percebe a força que uma história pode ter. As famílias Montecchio e Capuletti existiram, mas não existe nenhuma prova histórica que fossem inimigas ou que seus filhos tenham se apaixonado. Também se diz que Shakespeare nunca tenha colocado os pés na cidade veneta. Difícil saber onde termina a realidade e começa a ficção.

PIAZZA DELLE ERBE, PIAZZA DELLA SIGNORIA E TORRE DEI LAMBERTI 

Deixe a casa e dirija-se a Piazza delle Erbe. É na praça, de origem também medieval, que ficava em época romana o antigo fórum. Bares e restaurantes emolduram o vai e vem das pessoas e nos finais de semana, sempre tem uma feirinha de frutas e as mais variadas lembrancinhas.

Gosto muito de algumas casas da praça, mas meu espaço preferido ali é a Piazza della Signoria, que fica ao lado e é para mim uma das praças medievais mais bonitas da Itália, com o Palazzo della Ragione e sua Torre dei Lamberti, dá onde se tem a vista mais alta da cidade.

No Palazzo della Ragione fica a Galeria de Arte Moderna de Verona, que está incluída no Verona Card, mas confesso que nunca tive tempo para visitá-la. Se você tiver que escolher alguma coisa, então suba na torre para apreciar uma vista panorâmica da cidade.

Milão Verona Torre lamberti

Construída pela potente família Lamberti a partir do século 12, é a torre mais alta da cidade com seus 84 metros. A primeira subida é feita de elevador e leva a mais ou menos 35 metros de altura. Já dali a vista é suficiente, mas para os mais dispostos (e não foi meu caso), ainda é possível subir mais alguns metros de escada.

Lá de cima é possível ver os monumentos e igrejas da cidade, além do Rio Adige. A subida a Torre dei Lamberti não está incluída no Verona Card e custa 6 euros.

Depois de deixar a Piazza della Signoria e Piazza delle Erbe, é hora de ir em direção ao rio e a famosa Ponte Pietra. As indicações dos pontos turístico da cidade ajudam muito nessa hora.

BASÍLICA DE SANTA ANÁSTACIA, DUOMO, PONTE PIETRA E O RIO ADIGE

No caminho você vai passar pela Basílica de Santa Anastácia e bem perto do Duomo de Verona. Com a entrada incluída no cartão turístico, vale a visita. A decoração das duas fica por conta do típico mármore vermelho de Verona e o efeito é muito bonito.

A surpresa para mim ficou por conta da pequena igreja paleocristã  de Santa Helena, que faz parte do complexo do Duomo (se entra pela catedral), além dos restos arqueológicos da área e do batistério.

bate e volta Milão Verona

Ao sair da catedral, não deixe também de entrar (ao lado da fachada) no Claustro dos Canônicos. Lindo…mas eu sou suspeita, porque adoro um claustro.

Depois das duas igrejas, dirija-se a Ponte Pietra, a mais famosa de Verona, já existente em época romana, mas que foi reconstruída algumas vezes, a última depois dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial. Inevitável não fotografar o rio, suas margens e os fundos das casinhas coloridas.

Atravessando a ponte, se chega ao Teatro Romano, outro monumento da época do grande império e que ainda hoje é usado para a apresentação da temporada teatral durante o verão. O teatro é um dos monumentos incluídos no Verona Card.

o que fazer 1 dia em verona

Colocado em cima de uma colina (acima do teatro) fica o Castel San Pietro, construção militar de época medieval e que hoje passa por algumas reformas na espera de virar um museu. Mas quem quiser subir a escada que leva até a colina, será recompensado pela vista da cidade do outro lado do Adige.

Verona tem ainda a importante Basílica de San Zeno, mas essa vou (infelizmente) ficar devendo, porque entre todas as coisas para ver, um bate e volta acaba sendo pouco. Por isso, se você tiver um pouco mais de tempo, considere ficar pelo menos uma noite (ou mais) e explorar bem a cidade e por que não, os arredores.



ONDE COMER

Sendo uma cidade turística, Verona tem várias opções para o almoço para quem passa o dia na cidade. Minha dica sempre é a de evitar os restaurantes mais centrais, como os da Piazza dele Erbe. Ali você pode parar para relaxar tomando um Spritz, por exemplo.

onde comer verona



Aqui deixo uma pequena lista com alguma indicações de opções que acho que são mais genuínas.

Antica Bottega del Vino

Em uma travessa de Via Mazzini, é bem tradicional e tem uma decoração lega, toda de madeira. os preços são na média e é ótimo também só para tomar um vinho.

Osteria Giulietta e Romeo

O melhor custo benefício no centro. Pertinho da Piazza delle Erbe (Via Sant-Anastasia), tem uma fórmula de menú fixo com primeiro e segundo prato, muito conveniente. Os vegetarianos que me desculpem, mas adoro as almôndegas de carne de potro.

Antica Torreta

Mais escondidinho, fica perto da Ponte Pietra e é um pouco mais refinado e caro do que os dois primeiros.

*Esse post contém link para afiliados (RailEurope e Booking). Para saber sobre nossa política de monetização, clique aqui.

8 respostas
  1. Caroline Bianco says:

    Adorei as dicas! Penso em fazer um pit stop em Verona entre Veneza e Milão. Só para eu ter mais noção do tempo, entre quais pontos você parou para almoçar?

    Responder
  2. Barbara says:

    Olá, se fizer um bate e volta para Verona na segunda-feira, pego a maioria as atrações abertas?
    Obrigada. To amando o blog!

    Responder
    • Mage Santos says:

      Olá Barbara,

      Verona é muito turistica, mas muita coisa qui na Itália fecham às segundas.
      Vc teria que entrar no site das atrações, mas com certeza as igrejas estão abertas, por exemplo.

      Responder
  3. Letícia says:

    Oi, Magê! Vou fazer o bate-volta para Verona, devo comprar o trem antes ou posso comprar na hora? Tem diferença de preço?
    Obrigada!!

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] a Torre dei Lamberti. Esta é a maior torre da cidade e tem uma vista panorâmica bem legal. O blog Milão nas Mãos conta com mais detalhes como é a visita nesta torre e outras paradas importantes na Piazza delle […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *