La Rinascente: a loja de departamentos milanesa

New York tem a Sak’s e a Bloomingdale’s, Paris tem a Galeries Lafayette, Londres tem a Harrod’s e nós em Milão temos La Rinascente.

A loja de departamentos Rinascente em Milão

A loja de departamentos italiana por excelência, a Rinascente nasceu em Milão no século 19 com o nome de Magazino Bocconi e propunha um tipo de atividade completamente inovativa para a época: a primeira loja de roupas já confeccionadas da Itália. Em um mundo onde existiam só roupas feitas sob medidas por costureiras, era uma coisa realmente nova.

Em 1915 a loja foi completamente destruída por um incêndio e foi o escritor italiano D’Annunzio ao vê-la renascer da cinzas que a rebatizou: La Rinascente.

O interior da loja em 1930 e hoje

Dos anos 20 até e Segunda Guerra Mundial, a Rinascente foi ponto de referência para a moda em Milão. Bombardeada durante a guerra, foi reconstruída como a conheçemos hoje. Há mais ou menos cinco anos atrás, passou por uma radical transformação e apostou tudo nas grandes marcas: Dolce & Gabbana, Armani Collezione, Burberry, Gucci, Kenzo, Just Cavalli e outras marcas estão presentes nos seis andares que hospedam as várias categorias: casa, moda feminina, masculina, infantil, bolsas, perfumes e maquiagem, cama, mesa e banho.

Muito frequentada pelos turistas que visitam a cuidade, principalmente russos, japoneses e chineses, a loja é também frequentada pela Milão abastada que não quer rodar as ruas da moda entrando de loja em loja para fazer compras. No período de Natal e durante as famosas liquidações, a multidão é tão grande que os seguranças coordenam o fluxo nas escadas rolantes.

O design market store no sub-solo

Mesmo que você não tenha intenção de esvaziar sua conta corrente por lá, a minha dica é não deixar de visitar o sub-solo, onde fica o design market store e o sétimo andar, onde o famoso bistrot idealizado no pós guerra, deu lugar a um open space que reúne o food market (com uma variedade de produtos gastronômicos de alta qualidade) e restaurantes que vão do sushi, ao mozzarella bar, hamburgers (de carne de bisão), sanduíches e afins. Alguns deles tem terraços com vista para os pináculos do Duomo e um almoço ou um happy hour vira uma experiência inesquecível.

O food market e restaurantes do 7° andar

Vir a Milão e não dar uma entrada na Rinascente é como não ter conhecido parte da cidade.

Liquidações invernais: as peças must have

Todo ano é assim: na capital da moda, às portas das grandes liquidações de inverno e verão, blogs e revistas de moda começam a redigir a lista das peças must have que milanesas e turistas de passagem pela cidade não podem perder, já que os descontos vão dos 30 aos 50%.

Esse ano não poderia ser diferente e faltando uma semana para o início das liquidações invernais as dicas de compras em Milão passam por roupas e acessórios, de preferência de grandes marcas. Afinal, comprar uma peça importante e clássica, de uma grande grife, pode ser visto como um investimento a longo prazo.

Maxi casaco, chapéu de abas largas e jaqueta bouclè

Como, por exemplo, o casaco over e traspassado, que se fecha como um roupão de Alberta Ferretti, a clássica jaquetinha bouclè, os chápeus de abas largas, que aqui estão com tudo. Para completar o guarda-roupa, um terninho masculino de corte impecável como os de Armani, o maxi-capote Jill Sander e calças cigarette (as da foto são Yves Sant Laurent).

O terno Armani, casaco over e calça cigarette

As dicas de acessórios para esse inverno ficam por conta, entre outros, de bolsas e sapatos com tachas (uma febre por aqui), maxi colares, os confortáveis slippers e os tênis com salto, que também por aqui parecem que vieram para ficar.

Defina seu orçamento, escolha a sua loja, cara ou barata que seja e boas compras!!

Liquidações em Milão

Estávamos todos um pouco mais contentes depois de escutar a notícia (não confirmada) de que nesse inverno, as liquidações em Milão começariam antes do Natal para ajudar nas vendas nesse terrível tempo de crise.

A alegria durou pouco. Está mais do que confirmado e divulgado que, como todos os anos, as liquidações milanesas vão começar depois do ano novo, no sábado 5 de janeiro e devem durar 2 meses.

Se você está por aqui, não existe época melhor para comprar pequenos sonhos de consumo com descontos que muitas vezes podem chegar a 50%. A dica é, se possível, aproveitar os primeiros dias: mais passam as semanas e os descontos são maiores, mas a variedade é menor e fica difícil achar tamanhos como P e M.

liquidacoesinvernomilao

Fila na frente da Gucci

 

 

 

 

 

 

 

 

Se a sua meta são lojas das grifes mais badaladas, prepare além da carteira a paciência para ficar do lado de fora (no frio) em uma fila mais ou menos organizada, esperando para entrar.

Boas compras!!

Moleskine City Notebook Milão

Na era dos smartphones e tablets que subistituem agendas e afins, um clássico muito analógico resiste: as cadernetas Moleskine.

Molenskine é o legendário caderninho (agenda, anotações e desenhos) dos artistas e intelectuais europeus: de Van Gogh a Picasso, de Hemingway ao escritor inglês Bruce Chatwin, que antes de partir para a Austrália comprou todos os Moleskine que conseguiu encontrar.

Produzidos por pequenas fábricas francesas que forneciam as papelarias de Paris, no final so século  passado eram praticamente impossíveis de encontrar. Em 1998, graças a um editor milanês, Moleskine finalmente voltou às prateleiras das papelarias e livrarias.

São várias versões com dimensões e páginas diferentes e, para os viajantes, a versão City Notebook.

Desde que comecei a aventura do Milão nas mãos com as minhas peregrinações pela cidade e anotações de dicas, endereços, preços e etc, comprei o meu e não me separo mais.

O City Notebook Milano (mas existem versões de várias cidades) é composto de mapa da cidadepor área, mapa do metrô, índice das ruas, conversor de medidas, 76 páginas em branco para você anotar ou desenhar tudo o que precisa, 96 páginas (com índice) para você catalogar e escrever notas pessoais de restaurantes, hotéis, bares, museus e etc. Para terminar, 32 post-it para deixar mensagens e 12 folhas de acetato para você sobrepor aos mapas e criar os seus itinerários. Ou seja, Moleskine pensou em tudo para você criar o seu guia pessoal da cidade.

O Moleskine City Notebook Milano custa 15,50 euros e é vendido nas melhores livrarias e papelarias da cidade. Eu comprei o meu na Libreria Rizzoli da Galeria Vittorio Emanuele.

Ótimo para quem vem sempre para cá ou para um presente especial.

Muji to Go em Milão

Loja Muji to Go no subsolo da Rinascente

Muji to Go é a loja japonesa que acaba de desembarcar no Design Supermarket da loja de departamentos por excelência de Milão La Rinascente.

É tudo o que você espera de uma loja japonesa: a precisão em uma infinidade de produtos para estudar (cadernos, caderninhos e cadernetas, lápis, canetinhas, canetões, cartões de aniversário e por aí vai), casa, tempo livre, mas o forte da marca são os produtos para viagens. O conceito principal é: compacidade, funcionalidade e comforto.

São uma série de produtos para viajar mais leve (sempre que isso seja possível), que vão dos clássicos frascos para armazenar cremes e shampoos aos impermeáveis (15 euros) que você corta nas mangas e no comprimento para melhor ajustá-los, camisetas e encharpes comprimidas em uma embalagem que vira uma quadradinho (15 euros) e para o público feminino o ótimo multi-cape (49 euros), uma peça versátil para quem viaja, que pode ser usado como echarpe, cardigan, xale, colete e etc. Praticamente um origami, com mil desdobramentos.

Multi cape Muji to Go (49 euros)

Quando passar pela La Rinascente (e você vai passar), dê uma olhada. Coisa de japonês!!