3 anos de blog: o post dos leitores com as frases sobre Milão

Milão nas mãos faz 3 anos e comemora publicando um post com as dedicatórias para Milão, escritas pelos leitores.
Porque gostar de Milão, é mais fácil do que muita gente pensa!

Setembro é quando tudo começa

Setembro aqui é ano novo: o cheiro dos cadernos novos, as histórias das férias, as cores do outono que começam a pintar a cidade, o cair da noite, os bons propósitos, a cidade que retoma seu ritmo.

Um dia de relax em Milão

Fazia tempo que ensaiava uma escapada as Terme di Milano para um dia de relax na cidade. Na verdade, a estrutura é um spa dentro da cidade, não muito longe do centro.  Milão oferece várias opções para quem quer um dia, ou meio, de relax na cidade, mas todas elas são dentro dos grandes hotéis de luxo e com preços bem salgados.

E eis que no último feriado depois das férias de Natal, antes de realmente começar o ano, eu e marido pegamos o caminho da Porta Romana e fomos conferir a tal das termas. Aliás, termas dá só o nome a estrutura já que Milão não tem águas termais (que é possível encontrar em outras localidades nas montanhas da Lombardia).

o que fazer Milão relax

As termas ficam em um lugar bem sugestivo, uma construção de arquitetura Liberty que era a antiga garagem dos bondinhos quando eram ainda puxados por cavalos. Tudo isso, bem em frente da dita Porta Romana e com o jardim por parte cercado pelo pouco que sobrou das muralhas espanholas da cidade (século 16).

Nós chegamos sem reserva as 11h e apesar de ser feriado, não tivemos problemas para entrar. O custo nos finais de semana e feriados não é econômico, mas a permanência é ilimitada e você tem acesso ao buffet light (frutas, biscoitos, iogurtes, cereais, mel, chá) durante todo o período.

o que fazer Milão spa

Depois de pagar na recepção, eles te dão uma toalha, um roupão, par de sandálias de dedo e o bracelete junto com um cartão que abre e fecha seu armário.

Apesar do frio, era um dia de sol e nós começamos pelo lado de fora, já que eu estava louca para ver o jardim com as muralhas. Fora são duas piscinas água quente e hidromassagem e uma sauna seca que fica dentro de um antigo bondinho ATM. O cenário é bem sugestivo e deve também ser bem legal a noite.

Paradinha no buffet, que fica na antiga Sala Cavalli, para comer um iogurte e comer uma fruta antes de descermos para aproveitar os percursos de água e sauna que ficam no subsolo. Tem cascata, sauna com bicarbonato para fazer auto-esfoliação, hamman, piscina com cromoterapia.

Milão spa

Fiquei tanto de molho, que quando parei em uma das salas relax com colchão de água e musiquinha com barulho de água, dormi uns 20 minutos.

Ainda demos mais uma parada no buffet para um lanche, sempre a base de frutas e biscoitos, antes de irmos tomar banho. Os vestiários são equipados com secadores, cremes para o corpo, shampoo e sabonete líquidos. Você precisa levar mesmo só o maiô ou biquíni.

Pessoalmente, para o preço que custa, eu achei que eles tem poucos funcionários, mas nada que tenha comprometido o nosso dia lá.

Para quem quer fazer uma coisa diferente em Milão e adora um relax, é uma ótima opção. Eles tem também iniciativas como café-da-manhã (sábado e domingo) e happy hour (todos os dias) e tratamentos de beleza que não estão incluídos no preço da entrada.

QC Terme Milano  (site)
Piazzale Megadlie d’Oro 2 (Metrô Porta Romana)
De Segunda  à Quinta: das 9h30 às 23h
Sexta: das 9h30 às 00h30
Sábado: das 8h30 às 00h30
Domingos e feridos: das 8h30 às 23h
 
Ingresso dia inteiro 45 euros (seg a sex)
Ingresso dia inteiro 50 euros (sab – dom e feriados)
Aperiterme – happy hour 38 euros (a partir das 17h30 seg a sex)
Aperiterme – happy hour 42 euros (a partir das 17h30 sab e dom)
Relax com as estrelas 34 euros (a partir das 19h30 seg a sex)
Relax com as estrelas 38 euros (a partir das 19h30 sab e dom)
 
Não é consentida a entrada a menores de 14 anos 

Deu no New York Times

Milão cidade que não tem nada para se ver. Milão cidade de negócios, a São Paulo italiana. Milão (só) cidade da moda e design.

Escuto frequentemente esses comentários sobre a cidade para onde me mudei há 13 anos e da qual escrevo há 2 anos nesse blog. Mas quem segue o Milão nas mãos também deve ter lido várias vezes eu dizer que Milão não é uma cidade óbvia ou uma cidade para turistas (e até moradores) preguiçosos, daqueles que querem belezas escancaradas em suas caras e segredos facilmente desvendados em cada esquina.

Só quem vive realmente uma cidade pode colher a sua essência, seja ela qual for. Então, me desculpem os viajantes desavisados, que aqui chegam esperando encontrar roupas penduradas nos varais das ruas estreitas da cidade ou senhoras vestidas de preto sentadas nas portas de casa.

Capital da moda e do design sim, Milão é também a capital econômica do país e isso lhe confere um ar mas cosmopolita em relação a outras cidades italianas. Sem falar na grande quantidade de arte, cultura e história que também temos aqui.

E agora, que a cidade atrai a atenção do mundo em vista a Expo, um vídeo de 6 minutos publicado na sessão Viagens do portal do Jornal New York Times no dia 7 de janeiro, descreve Milão como uma cidade bela que não se entrega a primeira vista, em pequenas entrevistas a moradores e alguns empreendedores que fazem da cidade o que ela é: italiana, mas com um olhar internacional.

HangarBicocca, Pavè, Gallerie d’Italia, Al Taglio, Nonostante Marras, Ceresio 7, Un posto a Milano são alguns dos lugares mostrados no vídeo e exemplos da Milão que não se repousa, mas que sabe viver.

Aqui fica o vídeo com uma minha pequena dica: na sua próxima passagem por aqui dedique mais tempo a cidade e se lembre que Milão é para entendedores. Deixe-se surpreender.

Milão: 48 horas com menos de 48 euros

É possível passar 2 dias em Milão gastando pouco e conhecendo alguns pontos importantes da cidade, misturando arte e mundanidade?

Sim, é possível. Tirando a hospedagem, é claro, a cidade oferece uma série de opções baratas ou grátis, como já contei nesse post. Aqui, eu pensei em deixar algumas dicas do que fazer em Milão em 2 dias gastando até 48 euros.

Dia 1

10h  7 € *
Onde: Telhados do Duomo

O Duomo de Milão é a primeira parada de qualquer turista. Impressionante por fora, onde mostra o melhor do seu majestoso mármore, é nos telhados que confirma a fama da sua beleza gótica medieval.

Enfrente sem temer as centenas de degraus. Você não vai se arrepender quando estiver lá em cima, tête-à-tête com as 135 estátuas que decoram os pináculos.

13h – 2,50 €
Onde: Luini

Ao lado do Duomo, é o panzerotto mais famoso da cidade. A fila é uma mistura de locais e turistas bem informados que vão atrás do salgado de origem pugliese, recheado de mozzarela de búfala e tomate.

Como contei nesse post, a melhor coisa é saborea-lo na Praça San Fedele ou na Praça Scala.

14h – 0 € *
Onde: Gallerie d’Italia

Situada na Praça Scala, uma visita a Gallerie d’Italia  valeria a pena nem que fosse para conhecer os dois palácios que hospedam a coleção privada do banco Intesa Sa Paolo.

Dividida entre a arte moderna do século 19 e a contemporânea do século 20, expõe obras de Antonio Canova, Umberto Boccioni, Piero Manzoni, Michelangelo Pistoletto e Lucio Fontana.

o que fazer 2 dias em Milao

16h – 0€
Onde: Passeio pelo Quadrilátero da Moda

Deixando a Gallerie d’Italia, Via Manzoni é uma das ruas que fecha um dos lados do quadrado que dá nome as 4 ruas mais famosas do mundo da moda.

Se deleite com as vitrines das marcas mais famosas, mas não deixe de reparar também na arquitetura de alguns palácios e casas em Via Montenapoleone, Via Gesú, Via Borgospesso, Via Santo Spirito e Via della Spiga, a única fechada ao tráfego e, para mim, a mais bonita de todas.

18h30 – 10 €
Onde: Corsia del Giardino

Essa é a hora clássica do aperitivo milanês. Centenas de locais deixa seus escritórios para encontrar amigos ou concluir reuniões nos vários bares da cidade que oferecem buffet ou petiscos elaborados pelo preço fixo do drink que você escolher.

 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Dia 2

10h – 1,50 €
Onde: Tram 1 – Praça Repubblica

O bondinho da linha 1 é um daqueles tradicionais dos anos 20/30, todo de madeira por dentro e que são um dos símbolos dessa cidade.

Na Praça repubblica, pegue-o em direção ao centro e vá apreciando o percurso, até descer nas imediações do Castelo Sforzesco.

11h00 – 0 €
Onde: Castelo Sforzesco e Parque Sempione

O castelo da cidade é de época Renascentista e foi uma das cortes mais refinadas durante o período na Europa, quando por alí trabalharam artista como Leonardo da Vinci e Bramante.

Entre pela praça das armas e repare nas ameias no alto, onde os soldados faziam a guarda e nas grandes torres laterais que na época serviam como prisões.

A parte de trás da construção é dedicada a Corte Ducal e era onde ficavam os apartamentos dos duques e as salas de audiências e a capela. São essas salas que hoje hospedam parte dos museus municipais da cidade, como o Museu de Arte Antiga, dos Instrumentos Musicais ou a Pinacoteca do Castelo.

Deixando o castelo pela parte de trás, vocé dá para o Parque Sempione, o maior parque público da cidade. Antes de continuar o passeio, sente-se embaixo de uma árvore ou em um banco e dedique-se a observar o vai e vem de turistas e locais.

13h  4 €
Onde: Bar Brera ou Jamaica

Antes de uma visita a pinacoteca da cidade pare para almoçar saboreando um autêntico panino, como chamamos aqui o sanduíche.

Pão crocante recheado do que você preferir: presunto cozido, crú, mozzarela, bresaola, tomates, verduras. As opções são infinitas e você ainda come em um dos bares tradicionais do bairro.

2 dias em Milao dicas do que fazer

14h – 9 €
Onde: Pinacoteca Brera

O antigo bairro dos bordéis milaneses hoje é um dos metros quadrados mais caros da cidade. Lojas de grife, galerias, antiquários e cafés dão o toque charmoso que encanta os turistas durante o dia e a noite.

Brera é também o bairro da grande Pinacoteca de Brera. Atravesse o imponente pátio, preenchido pela estátua de Napoleão nú que fica bem no meio e suba a escadaria até os grandes quadros de nomes como Tiziano, Mantegna, Caravaggio, Raffaello, Bellini, entre outros.

16h30 – 0 €
Onde: Corso Garibaldi – Corso Como

Depois de um banho de arte italiana, nada melhor que relaxar antes da parada para o jantar passeando por Corso Garibaldi e sua continuação, Corso Como.

Caminhe sem pressa admirando a arquitetura popular das casas de “ringhiera” (balaustras) que hoje escondem apartamentos modernos em outro metro quadrado caro na cidade.

Antes de Porta Garibaldi, repare na igreja dupla de Santa Maria Incoronata e dê uma entrada. São duas igrejas unidas em uma só.

Atravesse a porta para continuar por Corso Como. É naquele pedacinho de rua, que no número 10 fica a famosa concept store milanesa 10 Corso Como. Entre para conferir uma das lojas mais bonitas da cidade. Suba também para conhecer a livraria e dar uma espiada na mostra na Galleria Sozzani (sempre grátis).

Saindo dalí, continue seguindo a agulha do arranha-céu Pelli e suba até nova praça da cidade: Praça Gae Aulenti. Sente-se um pouco para ver os locais que trabalham por alí e que começam a voltar para a casa ou estão indo fazer um aperitivo.

Volte para trás, até a Porta Garibaldi… é hora de pensar no jantar.

19h00 – 10 €
Onde: Eataly

A versão milanesa do Eataly, o empório gastronômico mais famoso do mundo fica na antiga sede do Teatro Smeraldo. A noite tem sempre um pouco de música e o ambiente é bem agradável.

Com esse valor, você pode escolher uma pizza margherita ou um prato de massa simple e fechar seus dois dias em Milão, na melhor tradição italiana.

Reserve um tempinho antes ou depois do jantar, para conferir as prateleiras recheadas de produtos gastronômicos italianos.

Total 2 dias= 44 €

* Atenção: Agosto 2015: a partir de junho 2015 a Gallerie d’Italia passou a cobrar 10euros pelo ingresso e os telhados do Duomo a pé custam 11 euros, comprometendo a soma desse roteiro :-(

* Endereços e horários nos links