Cursos de italiano em Milão

Quem pensa em fazer um curso de italiano na Itália, quase com certeza não escolhe Milão como primeira meta, já que pelo país existem um várias cidades que oferecem vários tipos de cursos.

Mas tenho recebido comentários no blog e até emails de leitores em mudança para Milão para frequentar os famosos cursos de moda ou fazer faculdade, que me pedem dicas de escolas com cursos de italiano para estrangeiros em Milão.

curso italiano em Milão

Aviso que nunca frequentei um curso na cidade e não conheço por experiência pessoal as escolas. Em 2000, quando vim para cá pela primeira vez (e a única em que fiz um curso) frequentei um curso intermediário 1 na Universidade para Estrangeiros de Bergamo. O resto do meu italiano foi aprendido “em campo” entre ambiente de trabalho, família e amigos.

Mas Milão oferece uma variedade grande de cursos e escolas de italiano, com durações diferentes (mensal, anual) e principalmente custos.

A prefeitura propõe vários cursos grátis para estrangeiros (regularizados) em vários bairros e essa pode ser uma alternativa para o começo ou para quem não dispõe de um grande orçamento. Mas saiba que o nível dos estudantes nesse tipo de curso é bem baixo e as aulas não costumam “avançar” muito.

Eu aconselho a começar a pesquisa, pelo ótimo portal Milano.Italianostranieri, lançado esse ano pela Prefeitura de Milão e o Ministério das políticas Sociais e que reúne 111 escolas na cidade, públicas, particulares e paroquiais com informações de preços, tipo de cursos oferecidos, duração e etc.

curso de italiano em Milão

A pesquisa pode ser feita usando vários tipos de filtros, como vizinhança, horário, nome, níveis e tipos de certificados em inglês, espanhol, francês, chinês e árabe.

Para quem prefere fazer uma pesquisa independente pelo Google, a melhor coisa é ir ao google.it e pesquisar por: corsi italiano per stranieri a Milano.

Além de um bom curso, por experiência, aconselho as pessoas a ficarem com os ouvidos bem abertos e aprender expressões e palavras novas, seja nas conversas com italianos e até com a televisão.

O italiano é uma língua neo latina como o português e eu, sinceramente, não acho que seja difícil para nós aprende-lo bem, coisa que vai fazer toda a diferença na sua vida e integração aqui.

Você conhece um curso de italiano em Milão que valha a pena? Deixe sua dica nos comentários.

 

A Expo2015 em Milão

Os turistas brasileiros que passaram por Milão nesse ano, não deixaram de notar em Corso Vittorio Emanuele e Via Dante, as fileiras de bandeirinhas de vários países combinadas com um logotipo que está invadindo a cidade: Expo2015 Milano.

Expo Milao 2015

Pode parecer cedo para falar de um evento que vai acontecer daqui há 1 ano e meio, mas em Milão não se fala de outra coisa. A cidade se prepara, inclusive na infraestrutura, para receber os 20 milhões de turistas esperados de 1 de maio a 31 de outubro de 2015 para visitar a manifestação.

Com certeza no Brasil, que é um dos países participantes, ainda ninguém ouviu falar muito da tal exposição. Só para dar uma lembrada: é a exposição que São Paulo gostaria de sediar em 2020 e para qual apresentou a sua candidatura (ver vídeo).

Ainda que pouco conhecida do grande público, a Expo, que acontece em uma cidade do mundo a cada 5 anos, é o terceiro maior evento mundial, ficando atrás só da Copa do Mundo e Olimpíadas e tem origens no século 19.

O Crystal Palace na primeira Expo

O Crystal Palace na primeira Expo

A primeira exposição mundial foi realizada em  1851 em Londres, no famoso Crystal Palace, construído todo de ferro e vidro no Hyde Park especialmente para a exposição, que se chamou Great Exhibition of the Works of Industry of all Nations. Eram os anos pré revolução industrial e foi um sucesso.

Anos depois, em 1889, Paris sediou a Expo e para o evento foi construída uma torre de ferro, que deveria ser temporária. O sucesso foi tão grande que ali ficou e se tornou o símbolo maior da cidade.

A Expo de Paris de 1889

A Expo de Paris de 1889

Mas não é a primeira vez que Milão sedia uma Expo. Tivemos esse privilégio em 1906, quando em ocorrência do evento, a cidade lançou o seu pólo de feiras, ainda hoje famoso em todo mundo com um calendário sempre cheio e variado. Na época usamos também o Parque Sempione para a construção dos pavilhões.

E aqui estamos nós, 110 anos depois, nos preparando para a próxima edição em um clima que mistura expectativas das oportunidades para Milão e um pouco de descrédito da parte dos cidadãos milaneses, já que o investimento econômico é grande e a pergunta é: e depois da Expo?

Até o momento, 138 países confirmaram a participação e cada um deles será responsável pela construção do próprio espaço expositivo. O Brasil acaba de anunciar a realização de uma superfície de mais de 4.000 m2 para desenvolver a 360° o tema escolhido pela Expo e que será discutido nos 6 meses de manifestação: Nutrir o planeta, Energia para a vida.

Milao Expo 2015

Planta da área da Expo2015 Milano

O tema é muito atual e amplo e abrange aspectos culturais, ambientais, tecnológicos, logísticos, agrários, geográficos, econômicos, entre outros. No site em inglês ou francês da Expo, é possível baixar o guia do tema, que explica as propostas, objetivos e ilustra alguns aspectos técnicos da manifestação.

A área da Expo Milão está localizada a Nordeste da cidade e incluirá uma parte do território do município de Rho (onde já fica i pólo feirístico da cidade) e vai ocupar 1,7 milhões de metros quadrados.

Agora é esperar e torcer para que seja um sucesso.

Fotos: Milão nas mãos e internet

Clima e temperaturas em Milão

Quando alguém tem uma viagem programada durante o período do verão no país de destino, é normal não se preocupar em como se vestir, já que uma bermuda, um vestidinho ou uma regata  já estão de bom tamanho e ninguém erra.

O problema começa quando bate às portas o outono, principalmente aqui na Europa, já que entre setembro a outubro as temperaturas caem bastante.

É quando eu começo a receber comentários aqui no blog e no nosso Facebook e perguntas de pessoas que estão vindo para cá e querem saber sobre as temperaturas e o que vestir. Sobre o assunto roupas, temos já dois posts que contam como se vestir na primavera-verão e como se vestir no outono-inverno.

Um dia de verão em Brera

Um dia de verão em Brera

Mas aqui fica um pequeno resumo de como é o clima em Milão, para ninguém ser pego de calças curtas (no inverno) :-) .

Milão é situada a ocidente da Val Padana e tal posição (o mar está bem longe) lhe dá um clima semi-continental. Os bairros centrais tem temperaturas um pouco mais elevadas (2 graus) em relação aos bairros mais periféricos.

O período de primavera é sempre uma caixinha de surpresas a cada ano. Já passei aqui primaveras “quentes” com dias agradáveis de 25-27 graus em abril e maio (que não é normal), ou como esse ano de 2013, que a primavera praticamente não existiu e tivemos dias frios até em maio. É na primavera também que se verifica o maior número de dias com chuva (ver tabela).

Dia de chuva na primavera 2013

Dia de chuva na primavera 2013

Os verões milaneses são quentes, úmidos, abafados e pouco ventilados, mas são frequentes episódios de temporais com ventos. Na média, o mês mais quente é julho, mas em agosto também são normais dias em que os termômetros batem os 35 graus.

Setembro é geralmente um mês de temperaturas agradáveis, onde basta uma jaqueta para se agasalhar pela manhã ou a noite. A partir de outubro a situação começa lentamente a mudar e até março sabemos que não temos muito o que fazer em relação as temperaturas. Com o avançar de novembro e dezembro, mesmo antes da entrada oficial do inverno, o frio impera.

clima temperaturas milao

No intervalo de 15 dias, mudamos a espessura dos casacos e gorros, luvas e cachecóis começam também a fazer parte do look.

Os invernos milaneses são geralmente bem frios e com poucas chuvas. A neve nos últimos anos tem dado as caras  nos meses de dezembro (mais perto do Natal) e janeiro, mas já peguei também neve em fevereiro por aqui. Ainda assim o mês mais frio é considerado janeiro.

Em dias de céu límpido, é comum ver pela manhã uma forte neblina que cobre a cidade (é a famosa nebbia milanese). Sobre céu límpido e dias de sol no inverno, um aviso aos brasileiros mais desavisados: são esses os dias mais frios, porque o céu não apresenta nuvens que “barram” o frio. Não se deixe enganar pelo solzinho, ele ajuda, mas é fraco, fraco.

Dia de inverno com sol

Dia de inverno com sol

Para quem fica hospedado nas cidadezinhas nos arredores de Milão, as temperaturas são em média mais baixas (de 2 ou 3 graus), ou seja: faz mais frio no inverno e é um pouco mais fresco no verão.

Seja no verão ou inverno, adapte-se as temperaturas vestindo-se adequadamente e aproveite o que a cidade tem de melhor.  Boa estadia!!

Fotos e tabela: Milão nas mãos

Banheiros “públicos” em Milão

Chega uma hora na vida de um blog sobre uma cidade, que ele tem que falar de banheiros. Sim, banheiros. Pensei muito se seria estranho publicar um post sobre o assunto, mas aí pensei que para mim, que vivo aqui, é fácil quando estou no centro, saber onde ir. Principalmente agora que o calor é intenso e fica difícil não tomar água.

Milão não possui aqueles tipos de banheiros públicos que ficam espalhados pela cidade e que são autolimpantes. Ok, muitos vão dizer que existe sempre a saída banheiro Mc Donald’s, mas os últimos que frequentei anos atrás não primavam pela limpeza. Acreditem ou não, em Milão é possível achar banheiro limpo no centro (a pagamento ou grátis).

E é aqui que vou limitar  minhas dicas de banheiros, já que é o lugar de maior concentração de turistas e viajantes. Lembrando, que além dessas opções que compartilho, existe sempre a possibilidade de entrar em um bar, pedir um café no balcão e usar o banheiro. Ah, acho que também é bom aconselhar que você  sempre aproveite para usar os banheiros dos museus e restaurantes que visitar.

Vamos lá!!!

Estação de metrô Duomo e San Babila

Eles são antes da catraca, então basta você descer na estação e procurar as indicações de banheiro. Para o da estação Duomo, dê as costas para a catedral e desça uma a escada à direita na praça.

banheiros em milão

Os banheiros dessas estações custam 0,50 centavos e são os que eu mais uso. Satisfação garantida, sem surpresas. Tem sempre um mocinho ou uma mocinha na porta que cobram e que limpam constantemente os banheiros masculinos e femininos. Nunca os peguei sujos.  Também tem sempre papel, sabão para lavar as mãos e os secadores que funcionam.

Já vi outras estações do metrô com banheiros a pagamento, como Cadorna e Montenapoleone, mas nunca os usei.

Autogrill Praça Duomo

Olhando para a catedral, a entrada fica do lado esquerdo. Suba todas as escadas e vá em direção do restaurante Terrazza Aperol. Quando você chegar à porta, em vez de entrar na restaurante (a direita) suba uma pequena escada a esquerda.

banheiros em milão

Depois de você pagar 0,50 centavos e passar uma catraca, você entra em um dos  banheiros da SANIFAIR. O banheiro é bem limpo, quando usei só encontrei alguns papéis no chão perto do lixinho da pia (que estava bem cheio).

Na verdade os 0,50 centavos que você paga, é um bônus de desconto que você pode usar na loja do Autogrill embaixo, para tomar um café, por exemplo.

Loja de departamentos La Rinascente

Quem não conhece os outros banheiros no centro da cidade, vai sempre alí e é fácil encontrar filas bem longas.

banheiro rinascente milao

Fica no 7 andar da loja, no andar dos restaurantes, é grátis e bem limpo, já que tem sempre uma senhora cuidando de tudo. O banheiro também tem um distribuidor de absorventes e lenços de papel.

Galleria d’Italia

Adoro esse museu, vale uma visita e me parece feio dizer que, já que é grátis (por enquanto), você pode usar os banheiros que ficam no subsolo.

Peça um bilhete na entrada, use o banheiro, mas não deixe de dar uma visitada nessa esplêndida coleção de arte moderna e contemporânea.

Castelo Sforzesco

Não se paga para entrar no Castelo Sforzesco, só nos seus museus. Os banheiros são muito frequentados pelos turistas e por isso, são bem mais sujos e não pouco cuidados e frequentemente não tem papel. Mas se você não tem opção.

Uma vez usei o banheiro de um dos museus e alí a situação era melhor.

Triennale di Milano

Um pouco mais afastado do centro e útil se você está por alí, já que o museu Triennale fica na parte de trás do Parque Sempione.

banheiros em milão

A maioria das mostras são a pagamento mas não se paga para entrar no hall, que dá acesso ao restaurante, a livraria e aos banheiros mais coloridos e musicais da cidade, já que tem uma iluminação especial e música ambiente. Também são limpos e abastecidos com papel e secadores de mãos.

Fotos: Milão nas mãos

 

Agosto em Milão

Ecco, hoje é dia 1 de agosto e a cidade começa a se esvaziar. Se esvaziar de milaneses, porque os turistas continuam a transitar pelo centro em busca de um pouco de ar fresco e dos nossos maravilhosos patrimônios artísticos.

Mas pode ser uma surpresa, para os turistas menos informados, que alguns restaurantes e até (poucos) museus e igrejas estejam fechados.

Milao em agosto

Sim, fechados. Por aqui, ainda existem uma série de lojas que são administradas por famílias, ou seja, agosto para eles também é mês de férias e eles também são filhos de Deus.

Mas grande parte das atrações, lojas e restaurantes no centro ficam abertos. O blog local Onalim, do qual eu escrevi nesse post, publica esse ano um mapa muito útil, que traz as lojas, restaurantes, supermercados e farmácias abertas na cidade. Para saber mais, clique aqui.

Se você estiver em Milão em agosto, aproveite os museus municipais grátis até 8 de setembro, os happy hours e o melhor que a cidade tem a oferecer.

Boas férias!!

PS:. Quinta-feira 15 de agosto é feriado nacional. Mesmo os locais que abrem durante o mês de agosto, podem estar fechados nesse dia.