Milão no inverno

Provavelmente, a maioria das pessoas que planeja uma viagem para a Europa pensa em vir para cá na primavera e porque não, no verão. Ok, os dias são mais longos e ficar batendo perna é mais agradável com uma temperatura de 25 graus.

Mas existe um grupo de pessoas que por opção ou necessidade (de trabalho, por exemplo) vem para cá no outono e inverno e, apreciar a cidade com temperaturas que muitas vezes beiram o zero é possível. Afinal, nesse período a vida da gente aqui muda um pouco, mas não pára. O inverno muitas vezes é rigoroso, mas nem sempre com nevadas intensas.

Sim, você tem que rever os seus programas: nada de aperitivo (happy hour) nas mesinhas das calçadas e nem longas caminhadas pelas ruas de Brera e dos canais. Em Milão a dica é trocar tudo isso pelos inúmeros museus que a cidade tem à oferecer (Pinacoteca di Brera, Pinacoteca Ambrosiana, Museu Novecentos, Museus do Castelo Sforzesco, as casas museus, Gallerie d’Italia e outros), trocar as lojas de rua pelas compras na Rinascente ou na Galleria Excelsior, visitar as centenas de igrejas da cidade, muitas delas decoradas com afrescos famosos e obras de arte.

Uma sala da Gallerie d’Italia

Quem fala um pouco de italiano, ainda tem a opção dos teatros e cinemas da cidade.

E entre uma coisa e outra, essa é a melhor época para apreciar um almoço com entrada, primo e secondo prato com as melhores receitas de pratos outonais e invernais regadas a muito vinho ou até mesmo sentar e tomar um chá ou chocolate quente acompanhados dos maravilhosos pasticcini (doces de confeitaria) em confeitarias como a Pasticceria Cova, Pasticceria Cucchi ou na Peck.

O chocolate quente da Peck

Tenha o cuidado de se vestir em modo adequado (passar frio não é agradável) e você não irá perder nada do que Milão tem à oferecer de novembro à março.

O novo trem Italo

O novo trem italiano Italo

Italo treno é o mais novo trem de alta velocidade da empresa ferroviária privada italiana NTV que nasceu para fazer concorrência ao paquiderme estatal Ferrovie dello Stato.

Operando desde abril 2012 oferece, em um trem moderníssimo de última geração, a possibilidade de viajar em 3 diferentes tipos de classes: Club, Prima e Smart.

O vagão Club, a classe mais exclusiva, foi colocado na início do trem para não expor-lo à passagem dos viajantes e dispõe de somente 19 poltronas em couro dotadas de monitor 9’’ touch screen. Também é previsto um serviço de bordo.

Interno do vagão Club

 

 

 

 

 

 

 

A classe Prima é dividida em 5 vagões e prevê um deles como área relax onde não é permitido o uso de celulares. Como na classe Club, aqui as poltronas também são de couro e é oferecido um serviço de bordo.

A classe Smart ocupa os últimos vagões e oferece 3 tipos de tarifas econômicas. Aqui o serviço de bordo é substituido por distribuidores de bebibas/lanches e para as viagens mais longas existe a possibilidade de reservar um lugar no vagão cinema.

 

O vagão da classe econômica Smart

O trem é dotado de conexão wi-fi gratis em todas as classes. O trecho Milão-Roma dura 3 horas e meia e um bilhete custa mais ou menos de 130 euros (Club) a 30-88 euros (Smart).

No momento Italo opera no trecho de Milão para Bolonha, Firenze e Roma (e vice-versa), mas em breveo estão previstos destinos como Nápoles e a inauguração do trecho Turim-Milão-Veneza.

Esse pode ser um jeito charmoso de viajar para destinos que cada vez mais estão indo parar nas mãos das companhias áreas de baixo custo. A pena é que os trens novíssimos e muito provavelmente eficientes cheguem nas esquálidas estações ferroviárias italianas.

Fotos: Internet

Rede WiFi Grátis em Milão

Na cidade de Milão é ativo o serviço de rede WiFi gratuita, o Open WiFi Milano.

A área do centro e arredores já tem uma cobertura bem ampla e novos pontos estão sendo ativados. Cada usuário registrado tem a disposição 300MB de volume de dados para baixar por dia. Depois que esse limite é superado, o usuário continuerá a navegar em alta velocidade por mais 1 hora, depois disso a velocidade de navegação cairá para 192 kb/s até a meia-noite.

Para ter acesso ao serviço de internet grátis em Milão você tem que se registrar no site do serviço e tem que ter um número de celular italiano (ler post) onde você receberá a senha (para quem não tem um celular com ship italiano, o registro para obter a senha de acesso pode ser feito no ATM Point da estação Duomo, Centrale, Cadorna, Garibaldi, Loreto e Romolo apresentando o passaporte).

É mais complicado escrever do que se registrar, mas aqui vai:

– na área de configuração de internet do seu celular, procurar a rede openwifimilano e selecionar
– o browser abrirá com a página de boas-vindas do serviço
– nos pontos 1 e 2 selecionar acconsento (são relativas a lei de privacidade e condições de utilizo)
– nos pontos 3 e 4 você pode selecionar non acconsento (recebimento de informações e newsletter)
– ponto 5 colocar o número de celular
– ponto 6 clicar em Richiede

Depois disso você receberá um sms com uma senha. Entre de novo na página, clique em Login e coloque o número do celular e a senha recebida.

Pronto!! Você está usando a rede internet WiFi grátis de Milão.

A mesma senha pode ser usada para acessar a rede usando outros dispositivos como tablets e notebooks. O site do serviço é disponível em italiano e inglês.

Chip para celular na Itália

Para quem está de passagem por Milão e viajando pela Itália e precisar de internet no celular e não quiser ativar o serviço (caríssimo)  de roming de dados, o ideal é comprar um chip para o seu celular com a opção de internet.

Chip para celular na Italia Milão

As três maiores operadoras italianas são: TIM, WIND e VODAFONE.  Todas elas tem lojas espalhadas pelo centro de Milão e nos principais shoppings e supermercados e oferecem planos com a opção de navegação na internet para turistas.

Aqui não existe essa coisa de desbloquear celular, você só tem que escolher a operadora, procurar uma loja, escolher a oferta e pedir uma CARTA SIM (o chip) recarregável (ricaricabile). Geralmente os chips novos tem um custo de  5 euros de ativação.

A TIM tem um plano para turistas que se chama TIM TOURIST que inclui 100 min de chamadas e 4Gb de internet por 20 euros. Se informe também sobre a possibilidade e terifas de um plano só com dados. Vodafone também tem um plano para os viajantes, chamado VODAFONE HOLIDAYS que por 30 euros inclui 300 min de chamadas, 300 sms e 2Gb de internet ou o C’all Global .

Lembrando que aqui, a diferença do Brasil, a melhor cobertura é da TIM.

Loja Tim Milão

Vale a pena para quem fica na cidade (ou na Itália) por mais de 1 semana. Outra opção para o uso de internet são as várias lojas, bares e restaurantes com Free WiFi Zone e a rede WiFi Grátis de Milão (ler post) que funciona com números de celulares italianos e estrangeiros.

BikeMi: compartilhamento de bicicletas

Uma das maneiras para se locomover em Milão se chama BikeMi e é o serviço de compartilhamento de bicicletas da prefeitura da cidade. São cerca de 200 estações espalhadas por toda a cidade (a maior parte concentradas dentro dos 1º e 2 º anéis ) que permitem que você alugue uma bicicleta por uma diária de 4,50 euros.

O serviço foi pensando como alternativa de transporte para os cidadãos e não tanto para os turistas e aí, na minha opinião, estão algumas inconveniências.

A primeira é a modalidade de registro para usufruir do serviço: ou você passa pelo ATM Point na estação Duomo do metrô e faz tudo alí ou tem que acessar o site (em espanhol) ou aplicativo (BikeMI), se registrar, pagar com cartão de crédito e anotar a senha mandada por email que você usará para tirar a bicicleta nos pontos . O registro tem que ser feito no dia da utilização e a diária dura 24hs.

 

Como foi pensado como meio de transporte para percursos curtos, uma outra coisa à explicar é:

A bicicleta pode ser usada por 30 minutos interruptos e quantas vezes o usuário desejar nas 24 horas da diária. Para isto, basta que, após meia-hora, o ciclista estacione o equipamento em qualquer estação por um intervalo de pelo menos 10 minutos. Para continuar utilizando a bicicleta sem intervalo serão cobrados 0,50 centavos por cada meia hora (depois da meia hora inicial).

Lembre-se que a bicicleta não pode ser usada por mais de duas horas interruptas, ao contrário, o serviço é bloqueado. Entre uma entrega e uma retirada devem-se passar  pelo menos 10 minutos.

Confuso? Pois é assim: depois de se registrar e pagar, você pega sua bicicleta (por exemplo) na praça Duomo , vai até Brera e a entrega ali. Dá uma volta, entra em lojas e igrejas e na hora de se locomover de novo pega uma outra bicicleta e vai (exemplo) até área dos canais para almoçar. Chega ali, estaciona a sua bicicleta, faz o que tem que fazer e depois pega  outra. E assim por diante, o dia inteiro, por 24 horas.

As vantagens são: é ecológica, o preço barato e a rapidez na locomoção (por mais que Milão seja plana, caminhar o dia todo não é fácil). As bicicletas também são novas, tem selim regulável, 3 marchas, faróis, cestinha e cadeado.

As desvantagens estão na maneira de registro e no entrega-entrega a cada 30 minutos (mas você pode muito bem não se importar com isso e pagar a mais pelo serviço). Ah, também tem o fato de que Milão, infelizmente, não tem um percurso de ciclovia muito extenso . O jeito é mesmo se misturar no trânsito, mas aqui os motoristas estão acostumados e respeitam os ciclistas.

O serviço é disponível para maiores de 16 anos.

bicicletas Milão

Para quem gostou da ideia e vai ficar na cidade por mais tempo, existe a possibilidade de pagar por 1 semana (9 euros) ou pelo ano inteiro (36 euros).

Atualmente o serviço BikeMI conta também com as bicicletas elétricas, que possuem uma tarifa um pouco mais alta (consulte site).

Boa pedalada!!

OBS: Post atualizado (tarifas) em julho 2018