Gelato x Ice Cream na Universidade do Sorvete em Bolonha

Em qualquer lugar do mundo, se você perguntar qual é o sorvete mais famoso do mundo, todos respondem: o sorvete italiano. Il gelato!

A maravilha cremosa que agrada a todos, não foi inventada na Itália, mas foi aqui que se tornou famosa e adquiriu o padrão de qualidade que hoje todos conhecem.

O sorvete como ¨empresa¨ nasce em 1686 quando o siciliano Francesco Procopio dei Coltelli abre em Paris o Café Procope e oferece uma grande variedade de sorvete. O sucesso é imediato, mas o sorvete ainda era uma iguaria elitista, era para poucos.

Café Procope

Será em Turim, a partir de 1884, que o sorvete ganha o grande público tornando-se mais acessível com a abertura da Gelateria Pepino, que ainda hoje funciona na cidade. Em 1903, a invenção, sempre de um italiano, da casquinha, coloca o sorvete nas mãos de todos.

A fama do sorvete italiano está no fato dele ser produzido, nas melhores sorveterias, em modo artesanal. Está aí a grande diferença entre o gelato e o ice cream, conceitos que tive a oportunidade de aprender durante a minha última viagem a região Emilia Romagna, onde visitamos a sede da Carpigiani, uma dos mais conhecidos fabricantes de máquinas para produção de sorvete do mundo.

Curso_Sorvete_Italia

Nossa visita começou com uma aula que explicava exatamente a diferença entre o gelato e o ice cream, entre o artesanal e o industrial.

O sorvete artesanal, aqui na Itália, é produzido diariamente pela própria sorveteria com ingredientes de alta qualidade e frescos. Ele é composto de 25% a 30% de ar, de 7% a 12% de gordura, de 27% a 30% de açúcar e precisa de uma temperatura entre -11 e -15 graus para se manter.

Já o ice cream, ou sorvete industrial, é fabricado em grande quantidade para ser vendido e consumido em meses e é composto de 50 a 100% de ar, 30% de gordura, de 40 a 50% de açúcar e é mantido em uma temperatura de -18 graus.

receita sorvete italiano

Dá para sentir a diferença?

O sorvete artesanal é um alimento com ótimas propriedades nutricionais e aqui na Itália, às vezes, é consumido no lugar de uma refeição (geralmente o almoço, nos dias quentes de verão).

Para terminar a aula e antes de colocar a mão na massa (ou no sorvete), aprendemos também as diferenças dos ingredientes do sorvete (leite, cremes ou frutas e açucares) e o sorbetto (água, fruta e açucares).

Foi aí que eu levantei a mão e me ofereci para produzir um sorbetto de melão ali, na hora, usando instrumentos simples como 2 tigelas de alumínio, um batedor, gelo e sal (que faz com que o gelo não derreta). Muito braço (meu e da minha colega Sofia) e 20 minutos depois, nosso sorbetto estava pronto.

IMG_5791

Essa foi uma pequena demonstração da aula de sorvete que faz parte do curso da Universidade do Sorvete (Gelato University) Carpigiani para pessoas do mundo todo, que vêm a Bolonha aprender a arte da fabricação do sorvete italiano.

Os cursos são divididos em níveis: básico, intermediário e avançado e tem vários tipos de duração. Podem ser feitos em italiano, inglês ou francês, na própria sede da Carpigiani e alguns até online. Para informações sobre os cursos, clique aqui.

IMG_5814

A nossa visita terminou com um tour pelo gracioso Museo del Gelato, que a empresa montou para reunir e hospedar um pouco da história de um dos doces mais consumidos no mundo. Instrumentos como máquinas de fazer casquinhas, carrinhos antigos de sorvete, embalagens e máquinas formam a pequena coleção. É possível visitar o museu gratuitamente, reservando um horário (consultar site).

E aí, da próxima vez vai de gelato ou ice cream?

*Minha visita a Carpígiani e Gelato Universyti foi um convite  do Emilia-Romagna Tourism Board  e fizeram parte do blogtour Fine Food and Wine: The Ultimate Italy mas todas as opiniões aqui relatadas são pessoais.

2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *