La Rinascente: a loja de departamentos milanesa

New York tem a Sak’s e a Bloomingdale’s, Paris tem a Galeries Lafayette, Londres tem a Harrod’s e nós em Milão temos La Rinascente.

A loja de departamentos Rinascente em Milão

A loja de departamentos italiana por excelência, a Rinascente nasceu em Milão no século 19 com o nome de Magazino Bocconi e propunha um tipo de atividade completamente inovativa para a época: a primeira loja de roupas já confeccionadas da Itália. Em um mundo onde existiam só roupas feitas sob medidas por costureiras, era uma coisa realmente nova.

Em 1915 a loja foi completamente destruída por um incêndio e foi o escritor italiano D’Annunzio ao vê-la renascer da cinzas que a rebatizou: La Rinascente.

O interior da loja em 1930 e hoje

Dos anos 20 até e Segunda Guerra Mundial, a Rinascente foi ponto de referência para a moda em Milão. Bombardeada durante a guerra, foi reconstruída como a conheçemos hoje. Há mais ou menos cinco anos atrás, passou por uma radical transformação e apostou tudo nas grandes marcas: Dolce & Gabbana, Armani Collezione, Burberry, Gucci, Kenzo, Just Cavalli e outras marcas estão presentes nos seis andares que hospedam as várias categorias: casa, moda feminina, masculina, infantil, bolsas, perfumes e maquiagem, cama, mesa e banho.

Muito frequentada pelos turistas que visitam a cuidade, principalmente russos, japoneses e chineses, a loja é também frequentada pela Milão abastada que não quer rodar as ruas da moda entrando de loja em loja para fazer compras. No período de Natal e durante as famosas liquidações, a multidão é tão grande que os seguranças coordenam o fluxo nas escadas rolantes.

O design market store no sub-solo

Mesmo que você não tenha intenção de esvaziar sua conta corrente por lá, a minha dica é não deixar de visitar o sub-solo, onde fica o design market store e o sétimo andar, onde o famoso bistrot idealizado no pós guerra, deu lugar a um open space que reúne o food market (com uma variedade de produtos gastronômicos de alta qualidade) e restaurantes que vão do sushi, ao mozzarella bar, hamburgers (de carne de bisão), sanduíches e afins. Alguns deles tem terraços com vista para os pináculos do Duomo e um almoço ou um happy hour vira uma experiência inesquecível.

O food market e restaurantes do 7° andar

Vir a Milão e não dar uma entrada na Rinascente é como não ter conhecido parte da cidade.

3 respostas
  1. Jose Cancello says:

    Gostaria de acrescentar que no final da década de 70, La Rinascente comprou as quatro filiais da americana J C Penney em Milão. Isso apesar de a J C Penney não concorrer com ela, já que operava em um segmento mercadológico mais popular. Na época isso implicou em um grande investimento, que significou em um alavancamento das atividade da Rinascente. A Penney saiu da Europa, primeiro da Bélgica e depois da Itália, porque “não agüentou” os sindicatos europeus, principamente os italianos.

    Responder
    • Mage Santos says:

      Oi Jose!
      Obrigada por compartilhar aqui seus conhecimentos sobre a Rinascente, eu nao sabia dessa historia com a JC Penney, nunca nem tinha ouvido que ela tinha lojas em Milao. Se fala sempre muito do inicio de tudo, com o nome de Magazzini Bocconi, do incendio, das bombas na segunda guerra mundial, mas do que voe contou aqui, nao sabia mesmo.
      Abraços
      Mage

      Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] pode estar interessado em compras ou não. Não importa, La Rinascente está alí no centro, ao lado do Duomo, é a loja de departamentos milanesa por excelência e vale […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *