4 museus para visitar em Turim

Completamente diferente da minha amada Milão, Turim é a cidade das praças monumentais, com aquele ‘que’ de realeza que só uma antiga capital pode ter.

É também a cidade dos cafés históricos, como O Mulassano, Baratti & Milano e Il Bicerin, que inventou a bebida mais famosa da cidade e que se encontra só lá: o bicerin.

Mas quem visita Turim, além de flanar pelas suas praças e entrar de café em café, também não pode perder pelo menos um dos seus inúmeros museus, que estão entre os mais interessantes e importantes do país e que contentam todo o tipo de interesse: da história antiga, ao cinema, passando pelo Reino d’Itália e chegando aos automóveis.

Dicas do que ver em Brescia

Segunda maior cidade da região da Lombardia, Brescia fica a 95km de Milão (cerca de 1 hora de carro ou trem), mas ainda hoje é ignorada pela maior parte dos turistas que transitam pelo Norte da Itália, a caminho das mais conhecidas Verona e Veneza. Uma pena.

Conhecida como a Leoa da Itália (a causa dos 10 dias de resistência aos austríacos em 1849), seu centro histórico conta mais de 3.000 anos de história e reserva boas surpresas para quem decide parar na cidade.

O significado dos nomes das ruas de Milão

Toponomástica é o estudo dos nomes de ruas, lugares e cidades. Quantos significados de nomes de ruas das cidades nas quais vivemos ou visitamos conhecemos?

Se a tarefa fica um pouco mais fácil no país de residência (qual é o brasileiro que não sabe o que aconteceu no dia 7 de setembro), quando visitamos uma cidade estrangeira, mapas e endereços nas mãos, nos deparamos com nomes muitas vezes impronunciáveis e datas que não temos a mínima ideia do que respresentam.

Há alguns séculos atrás, as ruas milanesas não tinham um nome. Foi só em 1785, durante a dominação austríaca, que a toponomástica da cidade por ordem do governador do império foi imposta junto com a numeração das casas e a colocação de lampiões a óleo em cada esquina.

Como transportar vinhos na mala para o Brasil

Para muitos turistas que visitam a Itália, além do seu grande patrimônio artístico-cultural e natural com certeza uma outra grande atração é a diversidade enogastronômica.

Comer e beber bem na Itália não é difícil e a tentação de levar iguarias e vinhos para o Brasil é sempre grande, já que a variedade aqui é muito maior e os preços sem os impostos absurdos do Brasil são bem convidativos.

Ainda que a limite de entrada de bebidas alcóolicas no Brasil por pessoa não seja baixo, a grande preocupação é como armazenar da melhor maneira as garrafas preservando a integridade das mesmas e das roupas e sapatos que viajam juntos dentro da mala.

Mas hoje existem malas que permitem transportar vinhos para o Brasil em completa segurança.

Post índice de Milão e arredores

O blog vai fazer 5 anos daqui alguns meses e com isso o número de posts vai aumentando sempre mais.
Pensei em fazer um post índice para ajudar quem está planejando uma viagem por Milão e pelas belezas da Lombardia.