Posts

Flutuando em Milão

A instalação interativa On Space Time Foam, no HangarBicocca em Milão, do artista e arquiteto argentino Tomás Saraceno foi inaugurada no último dia 26 de outubro e já é a terceira mostra mais visitada da Itália. Já nos primeiros dias a mostra recebeu 2.000 visitantes por dia, causando um tempo de espera de até 2 horas e meia. Eu cheguei logo no horário de abertura e peguei a senha para as 11.15 depois de me registrar apresentando um documento com foto.

On Space Time Foam é una obra “flutuante” formada por três membranas que se tornam três níveis por onde o público pode engatinhar (mais do que caminhar) suspeso a 20 metros de altura (o acesso à obra é feito através de escadas laterais e antes de entrar você tem que tirar sapato, brincos, colares, correntes , anéis e cintos).

Foram meses de preparação e experimentações para compor a obra, que contou com um time multidisciplinar de arquitetos e engenheiros. É um trabalho peculiar e sugestivo, que não deixa o público participante indiferente. Uma experiência (sensorial) que requer a disponibilidade de interagir com o espaço e com as outras pessoas, já que o movimento delas influência o seu, dada a deslocação do ar. A diversão, o esforço físico e o alto nível de emoção são garantidos.

Do térreo a obra é visível para o público e o acesso é imediato. Para o acesso ao andar superior para entrar na obra, é necessária a reserva (no local) para o primeiro horário disponível no dia da visitaO acesso é consentido por mais ou menos 15 minutos a um grupo de poucas pessoas de cada vez e não é recomendado à pessoas que sofram de vertigem, com problemas cardíacos ou  ataques de pânico e gestantes.

A obra vista de baixo – Foto: site HangarBicocca

A entrada ao andar superior é proibida a menores de 18 anos.

A obra fica no HangarBicocca até o dia 3 de fevereiro 2013.  Ah, e para quem estiver se perguntando: sim, aquela alí em cima no vídeo sou eu.

On Space Time Foam – HangarBicocca
Via Chiese, 2
De seg á qua: fechado
De qui à dom: das 11.00 às 23.00
Até 3 de fevereiro 2013 – Ingresso gratuito
 

Mostra Constantino 313 d.C

Muita gente não sabe, mas Milão foi capital do Império Romano do Ocidente de 286 até 402 d.C. Era a Mediolanum para os romanos.

Hoje resta pouquíssimo das construções romanas na cidade e a maior parte dos restos são acessíveis nos subterrâneos de edifícios, mas Milão era dotada de circo, termas, anfiteatro, teatro e palácios imperiais.

Um dos episódios mais importantes da Milão Imperial foi a proclamação em 313 d.C, por parte do imperador Constantino, do Édito de Milão, também conhecido como Édito da Tolerância, que declarava que o Império Romano seria neutro em relação ao credo religioso dos habitantes, legitimando o cristianismo e outras religiões e acabando oficialmente com as perseguições.

Para comemorar em 2013 os 1.700 anos da proclamação do édito, o Museu Diocesano de Milão inaugura, na póxima quinta-feira, no Palazzo Reale uma grande mostra com um percurso dividido por temáticas: Milão capital imperial, a conversão de Constantino, os símbolos de poder do Imperador, entre outras.

Ao todo serão mais de 200 objetos preciosos de arte e arqueologia provenientes de vários museus internacionais (Londres, Viena, Washington e Paris). Uma parte da mostra será dedicada a Helena, mãe do Imperador, figura de grande importância dentro da corte e que mais tarde se tornou santa.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Costantino 313 d.C
De 25 outubro 2012 à 17 março 2013
Palazzo Reale – Praça Duomo, 12
Segundas das 14.30 às 19.30
De terça à domingo das 9.30 às 19.30 (quintas até às 22.30)
Ingresso: 9 euros

 

Picasso em Milão

Picasso está em Milão. Não é a primeira vez, já que a cidade hospedou 2 mostras históricas no artista espanhol em 1953 e 2001. Mas uma mostra de Picasso causa sempre efeito por onde passa e por aqui não será diferente.

Aberta em 26 de setembro, estarão em exposição um pouco mais de 200 obras,  quadros, esculturas, desenhos e livros ilustrados, trazidas do Museu Picasso de Paris e algumas expostas pela primeira vez fora do museu parisiense que ficarão nas salas do Palazzo Reale até 6 de janeiro de 2013.

A mostra reúne obras-primas como Paul vestido de arlequim (1924), Celestina (1904) e Retrato de Dora Maar (1937).

Paul vestido de arlequim (1924)

Com a curadoria de Anne Baldassari, conhecida a nível mundial como uma das maiores estudiosas de Picasso e curadora do Musée National Picasso di Parigi, a mostra é uma excursão cronológica na produção do artista e cobre todas as fases fundamentais de sua carreira.

Mostra Pablo Picasso
Palazzo Reale – Piazza Duomo, 12
Até 27 de janeiro 2013
De segundas às quartas das 8.30 às 19.30
De quintas aos domingos das 9.30 às 23.30
Ingressos: 9 euros
 

Gallerie d’Italia-Piazza Scala

Em uma manhã de domingo de junho tive o prazer de seguir a iniciativa anual dos Cortili Aperti (Pátios Abertos) organizada pela Associoazione Dimore Storiche Italiane que acontece só durante um dia no ano.
Esse ano foram 14 pátios concentrados no centro da cidade e entre eles o recém aberto Gallerie d’Italia – Piazza Scala. Um museu encravado entre as ruas da moda.

museus milao
Nesse magnífico espaço da Milão neoclássica muito bem conservado, a iniciativa privada (bancos) colocou a disposição uma rica coleção de arte e realizou um espaço expositivo de seções temáticas que reúne obras lombardas de grande significado histórico do século 19 e 20.
As coleções são divididas entre século 19 a chamada “Da Canova a Boccioni” e reúne quase 200 obras divididas em 13 seções distribuídas em 23 salas  do Palazzo Anguissola e o Canteiro 900, que reúne as obras do século 20 no magnífico Palazzo Brentani, antigamente sede do Banca Commerciale Italiana. Só os palácios, já valeriam a visita.

gallerie ditalia mlao museus

A entrada é em Piazza Scala e a visita começa, estranhamente, de trás para frente, já que alí fica toda a coleção do século 20. Obras de Lucio Fontana, Piero Manzoni e outros grandes artistas italianos do século passado, enchem as salas. Atravessando um pequeno corredor, superando a cafeteria e chegando no espaço que liga os dois palácios, não deixe de admirar no pátio interno uma das esculturas disco de Arnaldo Pomodoro. No Palazzo Anguissola a visita começa com os belíssimos gessos em relevo de Antonio Canova (são 13 ao todo), passando depois  pelas pinturas de Hayez e por quadros que retratam a paisagem de Milão e do territorio lombardo. A exposição se conclui com as obras do início do século 20 do futurista Umberto Boccioni.

mseu milao gallerie italia

A Gallerie d’Itália se tornou, nesse pouco tempo desde a sua abertura, uma referência e uma bela realidade cultural para a cidade. Eu aconselho todos que passam pela cidade a dar uma entrada e apreciar um pouco de arte e beleza arquitetônica.

O museu possui também uma livraria e um agradável café-restaurante com uma entrada independente, na esquina da praça. Entre uma comprinha e outra, fica ai a dica.

Galleria d’Italia – Piazza Scala
Piazza Scala, 6
De terça a domingo das 9.30 às 19.30
Quinta até às 22.30
Ingresso: 5 euros (inteiro) – 3 euros (meia)
Durante as mostras especiais: 10 euros (inteiro) – 8 euros (meia)