Posts

De Santis: o sanduíche milanês

A briga pelo título de melhor sanduíche da cidade é boa porque Milão é considerada a capital histórica do panino (foi aqui que nos anos 80 surgiu o movimento juvenil “paninari”), mas o De Santis faz parte de todas as listas dos melhores publicadas a respeito.

O De Santis do Corso Magenta

Alí, por quase trinta anos, os sanduíches foram criados por um vencedor do prêmio Gambero Rosso que três anos atrás abriu a sua própria sanduicheria a poucos metros de distância do De Santis.

Três bancos do lado de fora, na calçada do Corso Magenta e um interior apertado (do lado direito outros bancos e um balcão e do lado esquerdo a vitrine de ingredientes e o sanduicheiro), mas bem cuidado.

São mais ou menos 200 variedades com  o cardápio dividido segundo o tipo de frio do recheio (presunto, culatello, presunto de praga, pata negra, presunto cru, bresaola, peixe). Depois, uma série de outros ingredientes que vão de patés, caviar,  temperos, alcachofras, pepinos, tomates e até frutas. Tudo servido em um pão crocante e quentinho.

Os preços são bem salgados e alguns sanduíches custam como muitos pratos nos restaurantes (5,50 a 18 euros). Mas se você estiver pelas imediações e quiser fugir da opção demorada de uma refeição em um restaurante, essa é a pedida.

onde comerm em Milão

Existem outros endereços espalhados pela cidade e arredores (como a filial da loja de departamentos La Rinascente), mas as variedades propostas são bem reduzidas.

Passar pelo De Santis do Corso Magenta é passar por um pedaço de história da cidade. Sem exagero!!

De Santis
Corso Magenta, 9
Todos os dias das 12 às 16 e das 19 às 00.30
 
 

O café na Itália

Os italianos são grandes bebedores de café. Assim como nós brasileiros é um tal de vamos tomar um cafezinho pra cá e pra lá. O café aqui se toma em pé nos balcões dos bares a qualquer hora do dia ou ao final de uma refeição nos restaurantes, mas pedir e degustar um café aqui é quase uma ciência.

Para mim o café é a melhor parceria Itália-Brasil: nós um dos maiores produtores de café de grande qualidade e os italianos grandes torrefadores e vendedores dos melhores cafezinhos.

Mas como esse é um assunto que para mim é muito “delicado” (sou uma apreciadora/bebedora incondicional de café e só tomo café expresso e de preferência de uma só marca) vou avisando que o tal do cafezinho aqui não agrada a maioria dos brasileiros.

É difícil tomar um café ruim nos milhares de bares espalhados pelo país, a média é bem alta mas a principal diferença com o cafezinho brasileiro está na torrefação e na quantidade do famoso expresso.

Se você entra em um bar e pede um “caffè normale” vai se deparar com uma xicarazinha cheia até a metade com um café cremoso e uma espuma densa por cima (melhor o café mais tempo a espuma permanece). É o café para ser tomado em um único gole e muitos italianos tomam até sem açucar.

Para os brasileiros fanáticos que não queiram se aventurar na tradição italiana a melhor coisa é pedir um “caffé lungo”. Aí sim a sua xicarazinha vai vir cheia quase até a boca, mas o café é sempre forte e cremoso.

Mas a variações vendidas nos bares são muitas e pedir um café pode ser um pouco mais complicado do que dizer apenas normale ou lungo.

Aqui algumas variedades:
-Caffè: pedido assim é o expresso, o café normale
-Caffè decaffeinato: é o café sem cafeina, descafeinado.
-Caffè ristretto: expresso muito curto, no máximo um dedo da xícara.
-Doppio: duas vezes o expresso (não confundir com o longo).
-Lungo: café expresso com um pouco mais de água.

Café lungo, normale e ristretto

-Caffè macchiato: café com uma um pouquinho de leite (“mancha”). O leite pode ser frio (macchiato freddo) ou quente (macchiato caldo).
-Caffè corretto: café com um pouquinho de grappa ou outra bebida alcoolica.
-Caffè shakerato: ideal no verão, é o café com gelo agitado na coqueteleira.
-Americano: um expresso servido em xícara grande junto com um bulê de água quente para “alongar” ou melhor, americanizar o café.
-Marrochino: café expresso com espuma cremosa de leite e por cima chocolate em pó. E sempre servido em uma xícara de vidro.

E depois ainda tem o cappuccino e o caffé latte, que não são a mesma coisa. Mas isso, já é uma outra história…

Entre em um bar, escolha a sua versão e bom café!!

As variedades