Posts

Agosto em Milão

Ecco, hoje é dia 1 de agosto e a cidade começa a se esvaziar. Se esvaziar de milaneses, porque os turistas continuam a transitar pelo centro em busca de um pouco de ar fresco e dos nossos maravilhosos patrimônios artísticos.

Mas pode ser uma surpresa, para os turistas menos informados, que alguns restaurantes e até (poucos) museus e igrejas estejam fechados.

Milao em agosto

Sim, fechados. Por aqui, ainda existem uma série de lojas que são administradas por famílias, ou seja, agosto para eles também é mês de férias e eles também são filhos de Deus.

Mas grande parte das atrações, lojas e restaurantes no centro ficam abertos. O blog local Onalim, do qual eu escrevi nesse post, publica esse ano um mapa muito útil, que traz as lojas, restaurantes, supermercados e farmácias abertas na cidade. Para saber mais, clique aqui.

Se você estiver em Milão em agosto, aproveite os museus municipais grátis até 8 de setembro, os happy hours e o melhor que a cidade tem a oferecer.

Boas férias!!

PS:. Quinta-feira 15 de agosto é feriado nacional. Mesmo os locais que abrem durante o mês de agosto, podem estar fechados nesse dia.

Dicas de Milão grátis…ou quase

É normal achar que uma cidade como Milão seja cara, principalmente para o turista brasileiro, que quando vê os preços das coisas, logo faz a conversão em real. É claro que aqui, mas como em qualquer outra cidade do mundo, você pode fazer refeições de 100 euros por cabeça, comprar roupas e bolsas por 1.000 euros e por aí vai.

Mas também existe, como em qualquer outra cidade do mundo, a Milão grátis ou barata, sem por isso perder em qualidade. São os casos de alguns museus maravilhosos na cidade ou até de certas comidinhas gostosas que, para você experimentar, não precisa esvaziar a carteira.

Deixo aqui as minhas dicas de Milão grátis e barata, para ninguém dizer que veio à cidade e não aproveitou porque estava com pouco dinheiro.

 

ARTE E CULTURA DE 0 A 5 EUROS

Aquário Cívico

Uma boa opção para quem está com crianças  ou simplesmente passeando pelo parque Sempione, já que o aquário fica praticamente dentro dele.

Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 18 anos, 1 hora antes de fechar e as terças-feiras depois das 14hs
De terça a domingo das 9h às 13h e das 14h às 17.30h
Parco Sempione (atrás do Castelo)

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Casa Museu Boschi Di Stefano

Pouco conhecida pelos turistas e até mesmo pelos locais (uma pena!!), é umas das quatro casas-museus de Milão, a Boschi Di Stefano reúne desde 2003, mais de 200 obras contemporâneas de artistas italianos da coleção do casal mundano Antonio Boschi e Marieda Di Stefano. As obras são exposta em dez ambientes no apartamento dos anos 30  onde eles residiram e conserva ainda alguns móveis.  Quem estiver pela zona de Corso Venezia, vale dar uma desviada um pouco para dentro, para conhecer essa maravilhosa coleção.

casa-museo-boschi-di-stefano

Grátis
De terça a domingo das 10 às 18
Fechado 1 janeiro, 1 maio, 25 dezembro e todo o mês de agosto
Via Jan, 15

 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Galleria Carla Sozzani

É a galeria da irmã da editora da Vogue Itália e que fica no andar de cima da badalada concept-store 10 Corso Como. Tem sempre mostras de arte ou fotografia. Confira o site  para saber a programação.

Grátis
 Segundas: 15.30 – 19.30
Terças à sábados: 10.30-23.00
Domingos: 10.30 – 19.30
Corso Como, 10

 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

GAM

A Galeria de Arte Moderna de Milão fica na maravilhosa Villa Reale da cidade, do século 18 e vale a visita pelas obras, pelo palácio e pelo gracioso jardim na parte posterior.

milão grátis barata

Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 18 anos, 1 hora antes de fechar e as terças-feiras depois das 14hs
De terça a domingo das 9 ás 13 e das 14 às 17.30
Fechado as segundas,  1 janeiro, 1 maio, 25 dezembro
Via Palestro, 16

 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Hangar Bicocca

O espaço expositivo do grupo Pirelli é um dos mais interessantes da cidade e já falamos sobre ele nesse post. Hospeda instalações temporárias e obras permanentes, como os 7 Palácios Celestes de Kiefer. Eles também oferecem um espaço Kids e o bom restaurante Dopolavoro.

Grátis
De seg à qua: fechado
De qui à dom: das 11.00 às 23.00
Via Privata Chiese, 2

 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Igrejas

Não se paga para entrar nas igrejas milanesas (no máximo existe o pagamento para o acesso a algumas capelas e mosaicos) e muita gente não sabe, mesmo os locais, que as muitas igrejas milanesas (a cidade perde em número só para Roma) são verdadeiros museus. Quadros e afrescos de pintores importantes e quase sempre desconhecidos do grande público, embelezam as construções eclesiástica da cidade.

Deixo aqui, uma pequena lista das que são mais interessantes (para mim): Santa Maria em San Satiro, San Fedele, San Giuseppe, Santa Maria della Passione, San Lorenzo, Sant’Ambrogio, Sant’Eustorgio, San Simpliciano, San Maurizio, San Marco… só para citar algumas.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Museu 900

Um dos mais recentes museus da cidade, foi criado para abrigar as obras quase exclusivamente de artistas italianos que cobre todo o século 20 (por isso o nome do museu).  Situado na Praça Duomo, vale a visita.

Grátis: Menores de 25 anos  e todos dos dias a partir de 2 horas antes do fechamento do museu.

 
Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 25 anos,
Segunda: 14.30 às 19.30
Ter, Quar, Sex, Dom: 9.30 às 19.30
Qui e Sab: 9.30 às 22.30
Piazza Duomo  (entrada na Via Marconi, 1)
 
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Museu Arqueológico

Museu municipal que reúne os restos arqueológicos de quando a cidade era chamada Mediolanum e era capital do império Romano do Ocidente. Além do museu, a parte posterior abriga um dos poucos restos romanos em superfície da cidade: a torre de Ansperto, uma das torres colocadas nos ângulos do Circo Romano.

Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 18 anos, 1 hora antes de fechar e as terças-feiras depois das 14hs

De terça a sexta das 9h às 17.30h
Corso Magenta, 15

 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Museu História Natural

Um dos mais importantes da Europa, é o preferido da criançada. Fica dentro do parque Giardini Pubblici, em Corso de Porta Venezia e reúne coleções de fósseis, reproduções de dinossauros e habitats naturais.

Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 18 anos, 1 hora antes de fechar e as terças-feiras depois das 14hs

De terça a domingo das 9h às 17h

Corso Venezia, 55

 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Museus Castelo Sforzesco

O castelo da cidade (que tem acesso gratuito) hospeda uma série de museus municipais de grande importância nas salas que constituíam a residência ducal na época do Renascimento.  Se você tiver tempo, o bilhete dá direito ao acesso de todos eles. Os mais importantes? A Sala onde fica a Pietà Rondanini (na Praça das Armas), Museu de Arte Antiga (Sala dele Assi afrescada por Da Vinci), Pinacoteca, Museu dos Instrumentos Musicais.

pieta michelangelo milao

Preço: 5 euros  (inteiro) – 3 euros (reduzido) – over 65 anos, universitários com carteirinha
Grátis: menores de 18 anos, 1 hora antes de fechar e as terças-feiras depois das 14hs
De terça a domingo das 9h às 17h
Piazza Castello
 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Parques

Você não paga nada para entrar, sentar, descansar e apreciar o momento ou fazer um pic nic nos vários parques da cidade. Na primavera ou verão, não tem programa melhor. Escolha o seu lendo esse post.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Feira de Antiguidades

Para quem gosta, um prato cheio. Não custa nada passear entre as barraquinhas que oferecem de objetos, a móveis e roupas.  As mais famosas da cidade, são a de Brera (terceiro domingo do mês, exceto agosto) e a dos Navigli (último domingo do mês, exceto agosto).

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

COMER E BEBER ATÉ 5 EUROS

Bares

Em qualquer bar em Milão você toma um cappuccino e come uma briochè (croissant doce) por cerca de 2.60-2,80 euros. Um café custa 1,00 euro na maioria dos bares.

capuccinomilao

Atenção nos bares do centro, porque neles, esse valor muda quando você se senta à mesa. Alí um café que custa 1,00 euro em pé no balcão, pode custar até 3,50 euros se você sentar.

Sorvetes

Como o sorvete italiano não existe e sobre eles eu já falei nesse post. Na grande parte das sorveterias, uma casquinha ou copinho com 2 sabores custa 2,50 euros.

Luini

O panzerotto do Luini (uma especie de risoles grandão recheado com mozzarella e tomate) é o mais famoso de Milão. Em época de alta temporada e nos finais de semana, tem fila na porta. Sempre quentinho, você compra e saí andando comendo, porque eles não tem mesas.

Um panzerotto e um refrigerante saí por cerca de 4,50 euros, tudo isso em pleno centro de Milão, aos pés do Duomo. Quem quer saber de McDonalds?

Sanduíches

Se você gosta de frios e queijos, saiba que a maior parte dos bares, mesmo no centro, vendem panini (sanduíche em italiano) por cerca de 4,00 euros.

Mais temos também lugares históricos como a Paninoteca (Galleria Buenos Aires, 13) que fica aberta até as 2 da manhã e vende sanduíches bombásticos a 3,60euros e o templo do movimento paninaro em Milão, o Margy Burger (Piazza Santo Stefano, 2), lanchonete como aquelas que quase não se vê mais com hamburgers a partir de 3,40 euros.

Pizzas

Em vários “fornos” milaneses, que são uma espécie de padaria que vendem pizzas e focaccias, você vai achar pedaços por cerca de 3,50-4 euros.

Mas Milão tem uma pizzaria que vende pizza em pedaços, tão histórica quanto polêmica, já que tem quem ame e quem odeie, talvez pelo serviço, que é quase mal educado e apressado: Spontini. Alí, quando você acaba de comer, os garçons literalmente te colocam para fora (comentários no Tripadvisor). Tem quem diga que é a melhor pizza em pedaços de Milão, mas essa má educação para mim não é justificada e me cansa.

Milão barata e gratis

Hoje eles tem várias lojas (consulte o site também para os horários) como a do centro, pertinho da Galeria, mas a que realmente faz parte da vida nos milaneses é a de Corso Buenos Aires, 60. Pedaços de pizza abundantes 5 euros.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

TRANSPORTES

Não vou cansar de dizer que a melhor maneira de conhecer Milão, é a pé. É dessa maneira que você pode, de repente, entrar em uma ruazinha charmosa e pensar que foi parar em uma outra cidade.

Mas se caminhar não é o seu caso ou se você quiser mais rapidez na locomoção, saiba que o bilhete de metrô urbano em Milão custa 1,50 euros e vale para uma viagem mais 90 minutos de integração com ônibus ou bondinho. Se você acha que vai usar mais de 3 bilhetes em 1 dia, compensa comprar o diário (giornaliero), que custa 4,50 euros e tem duração de 24 hs a partir da hora de validação.

Para quem gosta das duas rodas, se locomover pela cidade com o sistema de compartilhamento de bicicletas BikeMi  pode ser a pedida. Para o turista, o sistema de registro no site para obter a senha pode parecer complicado (aliás, eu acho que a empresa de transportes ATM  poderia melhorar isso), mas nesse post, você fica sabendo tudo.

*Esse post contém link para afiliados (Booking). Para saber sobre nossa política de monetização, clique aqui.

Procurando hotel em Milão? Leia o post com dicas de hotéis por bairro e reserve usando o Booking, clicando aqui.

Siga o Milão nas mãos no Facebook, Twitter e Google +

O quadrilátero do silêncio em Milão

Sem dúvida nenhuma, o quadrilátero mais conhecido de Milão é o chamado Quadrilátero da Moda ou Quadrilátero de Ouro, as quatro ruas mais famosas da cidade (Via Manzoni, Via Montenapoleone, Via della Spiga e Via Sant’Andrea) que reúnem as lojas das mais badaladas marcas mundiais.

Mas em Milão existe um outro quadrilátero, muito menos famoso e pouco conhecido pelos turistas e até locais, que é completamente o oposto ao seu badalado “primo”: é o Quadrilátero do Silêncio.

Essa área que fica a dois passos do centro de Milão é assim chamada pela tranquilidade de suas ruas, praticamente privadas de bares, restaurantes e lojas badaladas. É alí que estáo reunidos os melhores e mais belos exemplos da arquitetura Liberty em Milão, estilo muito em voga nos anos 10 do século 20 e também de estilos das décadas posteriores, constituindo assim, uma espécie de “albúm” da história da arquitetura milanesa do século passado. Só para entender melhor, o estilo aqui chamado de Liberty, é o que os franceses chamam de art-nouveau.

milao quadrilatero silencio

O arco de Via Salvini – Foto Geobia

O Quadrilátero do Silêncio (para mim) tem uma entrada oficial: o arco que se abre em Corso Venezia, à frente do Parque Jardins Públicos e que pegando Via Salvini vai dar em uma “outra dimensão”: a deliciosa Praça Duse. Já alí, vale a pena reparar nos prédios que circundam a praça com suas cariátides. A traficada avenida está a poucos passos, mas você já começa a gozar da tranquilidade e silêncio das ruas.

Edifício na Praça Duse - Foto Friedrichstrasse

Edifício na Praça Duse – Foto Friedrichstrasse

A partir dalí é uma sucessão de surpresas como: Palácio Fidia (1929), Palácio Berri Meregalli (1911), Casa Tensi (1907), a belíssima Villa Necchi Campiglio (1932) e seu jardim com piscina e cafeteria, perfeitos para uma pausa. A vila é uma das casas museus de Milão e é visitável com um tour guiado feito por voluntários, como contei nesse post.

casa tensi milao

Em Via dei Capuccini vale conferir a surpresa que nos reserva os jardins da Villa Invernizzi: uma colônia de flamingos rosas em pleno centro da cidade.

villa invernizzi milao flamingos

Algumas poucas ruas mais em direção a periferia ficam outros exemplos famosos de construções , como o renomado Hotel Diana, de 1908 e hoje parte da rede Sheraton, onde o ritual do aperitivo no seu belo jardim é disputadíssimo e os prédios com varandas e escadas em ferro batido e decorações em azulejos, como as famosas Casa Galimberti (1913) e a Casa Guazzoni em Via Malpighi.

liberty milao

Casa Guazzoni MIlao

O Quadrilátero do Silêncio é um lugar para se conhecer a pé, com calma e olhando para cima. Se você tem alguns dias por aqui e quer fazer um passeio diferente em Milão, eu aconselho conhecer esse cantinho especial e mágico da cidade.

Para chegar até o quadrilátero do silêncio, você pode descer nas estações (linha vermelha) de Porta Venezia (e começar por Via Piave e Malpighi) ou Palestro (e começar pelo arco di Via Salvini). Abaixo os nomes dos principais edifícos, os endereços e um mapa da áera.

Palácio Fidia – Via Luigi Melegari 2
Palácio Berri Meregalli – Via Cappuccini 8
Villa Necchi Campiglio – Via Mozart 12-14
Villa Invernizzi – Via dei Capuccini
Casa Tenzi –  Via Vivaio 4 esquina Via Maggiolini
Hotel Diana – Viale Piave 42
Casa Galimberti e Casa Guazzoni – Via Malpighi 3 e 12

Fotos: (onde não especificado) Milão nas mãos

Como se vestir (primavera e verão)

Viajar para qualquer lugar na primavera e no verão tem as suas vantagens. A probabilidade de tempo ruim (leia-se nublado ou chuva) é menor e o peso e o volume das malas também mudam com o tipo de roupa que você tem que carregar.

Assim como no inverno em Milão você precisa saber como se vestir para não passar frio, na “bella stagione” como é chamada aqui, algumas dicas também são valiosas.

A primavera aqui é instável e com temperaturas que podem variar muito de um dia para o outro. Abril e maio são os meses mais manhosos e é melhor não confiar de encontrar um calorzão, mas as vezes são meses de dias agradáveis com uma média de 25 graus. A calmaria antes dos quentes verões.

como se vestir Milao primavera

A coisa muda um pouco entre junho e agosto. Para quem nunca veio à Itália, saiba que nós temos verões quentes, com dias realmente sufocantes, principalmente em Milão, que tem um clima úmido e dias que podem beirar os 32- 35 graus de sensação térmica.

A regra é sempre trazer poucas peças que combinem entre si, para otimizar o máximo. Lembre-se sempre que os hotéis têm lavanderia que entregam a roupa lavada e passada em 24hs.

Para uma mala equilibrada, aqui deixo alguma dicas bem pessoais de como se vestir na primavera e verão em Milão, do que trazer e do que evitar:

Lembre-se de algumas coisas: mesmo na primavera, a noite faz sempre um friozinho; é proibido entrar de shorts, regatas e costas de foras nas principais igrejas italianas; o italiano diferencia roupa de verão e roupa de praia, ou seja, muitos modelitos não são o ideal para a cidade.

-um trench (na primavera). É uma peça que se usa bastante aqui e que é perfeita para a meia estação. Pode também ser usado a noite, sobre um vestido com sapato de salto. Se você ainda não tem um, não se preocupe: você está em Milão.

 – Prefira calças de tecido leve em cores diferentes como o caqui e o branco, que vão com tudo.

– Cardigãs de algodão ou malha

– Blazers de algodão

como vestir-se primavera Milao

– Camisas e blusas soltinhas e de cores claras

– Vestidos soltinhos

– Encharpes de algodão. Muito usadas por aqui, elas são ideais quando dá aquela esfriada e você precisa se aquecer um pouquinho.

– Abuse das sapatilhas e sandálias (no verão). Nada de hawaianas, aqui elas entram no hall das roupas de praia. Esqueça também, pelo menos durante o dia, no bate-pernas turísticos, os saltos. Acreditem: caminhar pelos paralelepípidos de Milão ou pelas pedrinhas do Castelo no alto do seu salto mais bonito, não é confortável. Deixe o modelão para um jantar a noite ou para a balada.

como se vestir em Milao na primavera

– chápeus. Aqui se usa bastante e pode ser uma boa maneira de se proteger do sol.

– bolsas e carteiras

– acessórios que você possa usar, mudando completamente o look, como pulseiras, cintos, colares e óculos de sol.

Com as devidas adaptações, as dicas também servem para os homens. Camisas brancas, calças de sarja, camisas polos e mocassins são bem-vindos.

E se no final  de tudo você esqueceu alguma coisa, pode sempre se esbaldar fazendo umas comprinhas pelas cidade.

Clique aqui para conhecer o clima e as temperaturas em Milão o ano todo.

Fotos: composições Milão nas mãos a partir de fotos de catálogos na internet

Passeio em Bérgamo Alta

A charmosa cidade de Bérgamo e, em particular, a cidade alta fica a poucos quilometros de Milão e é minha dica de passeio bate e volta se você está na cidade por alguns dias.

Bergamo Italia Cidade Alta

A cidade é dividida em dois núcleos: a cidade baixa, mais moderna e reurbanizada e a famosa cidade alta, aqui chamada simplesmente de “città alta”. Essa parte, em particular, faz parte das 5 cidades italianas (as outras são Lucca, Ferrara, Pádua e Grosseto)  em que o centro histórico ainda é completamente circundado pelos muros defensivos medievais originais.

Funicular Bergamo Italia

Ir da cidade baixa a alta é fácil: você pode ir a pé, de ônibus ou pegar a característica funicular construída no final do século 19. Nem preciso dizer que é o meio preferido das meninas quando vamos a Bérgamo.

Depois que chegar lá em cima, a dica é se perder entre as ruazinhas de pedras do pequeno e charmoso burgo, cujo centro principal é a importante Piazza Vecchia, palco de construções como o Palácio da Biblioteca, o Duomo, o Palazzo della Ragione, o Palazzo del Podestà com o sua torre (o Campanone) e a famosa Capella Colleoni e seu batistério. Tudo alí, um juntinho do outro, só para você poder admirar tudo de uma vez. É muita história e arquitetura medieval de qualidade reunidas em um só espaço.

Centro Bergamo Alta Italia

Nas redondezas da praça é um vai e vem de gente simplesmente caminhando, entre lojinhas, bares, sorveterias e restaurantes. Aliás, se você estiver por alí e for hora de almoço ou jantar, a minha dica é provar o típico casoncelli alla bergamasca ou se aventurar em um prato de polenta taragna com carne cozida no vinho.

Restaurantes Bergamo Alta Italia

Para quem estiver com crianças, uma boa opção para tornar o passeio interessante também para eles, é o Museu Municipal de Ciência Naturais, que fica na Piazza Citadella, tem entrada gratuíta e expõe as coleções de zoologia, ciências da terra e paleontologia.

Museu Ciencias Naturais Bergamo Italia

Diversão garantida. Bom passeio!!

Obs: Se você está em Milão e usando o transporte público, a melhor maneira de chegar até Bérgamo é indo de trem (saindo da Estação Central) ou com o ônibus que faz toda a rodovia A4, se chama AUTOSTRADALE e saí da na praça em frente ao do Castello (Piazza Cairoli). Nos dois casos, você vai chegar na Estação Ferroviária de Bérgamo, na cidade baixa.

Museu de Ciências Naturais Bérgamo
Piazza Citadella
De Abril a Setembro:
De ter a sext: 9.00 – 12.30 / 14.30 – 18.00
Sábados e feriados: 9.00 – 19.00
De Outubro a Março:
De ter a dom: 9.00 – 12.30 / 14.30 – 17.30
Fechado: segundas, 1 de janeiro e 25 dezembro