Posts

Santo Ambrosio e “La Prima della Scala”

7 de dezembro é dia de Santo Ambrosio,  importante arcebispo de Milão no século 4 e também seu padroeiro. Feriado em Milão, é um dia importantíssimo para os milaneses porque também é a data, desde 1951, de um grande acontecimento para eles (participantes ou não): “La prima della Scala”, a estréia da temporada lírica do Teatro Scala, evento cultural, institucional e mundano da cidade.

Prefeito, presidente da república, primeiro ministro, empresários, famosos e ricos, se reúnem para assistir a ópera que abrirá a temporada lírica e que é diferente todos os anos, assim também como muda o maestro regente da orquestra.

Depois, um total de 400 convidados partecipam de um grande jantar de gala. Os ingressos para a estréia chegam a custar 2.000 euros. Durante o ano, é possível comprar ingressos um pouco mais baratos para as óperas e apresentações da Filarmônica della Scala, mas mesmo assim, os preços podem ainda ser salgados.

scaladimilano

Para os menos abastados, a opção é assistir a estréia pelo telão instalado especialmente para a ocasião no octagono da Galeria Vittorio Emanuele ou em vários outros instalados pela cidade, incluindo a periferia e a prisão de san Vittore.

Durante o ano, a programação é composta das apresentações  líricas, da Filarmônica della Scala e dos espetáculos de battet e geralmentevão até o início do verão. Depois de uma pausa nos meses das férias, retoma em modo reduzido de setembro à novembro.

Para quem quer conhecer um pouco do teatro, é possível visitar o museu e ter uma visão da sala atráves de um dos camarotes, como contei nesse post.

O vídeo mostra a preparação e atmosfera dessa noite especial para a cidade e os milaneses.

 

O panzerotto do Luini

Se você esta pelo centro de Milão e quer comer uma coisa gostosa, tipica italiana e que não seja necessariamente a pizza, você tem que ir ao Luini comer um panzerotto. Gostoso e barato, é uma das melhores e mais famosas coisas que o centro de Milão tem à oferecer.

Praticamente “colado” na lateral direita da Duomo, Luini é mitologia em Milão. Fundado em 1949 pela senhora Giuseppina Luini, pugliese, no início era só uma padaria que fornecia pães aos hotéis e restaurantes do centro até que a senhora Luini resolveu preparar uma receita da sua terra: o panzerotto.

Para nós brasileiros o panzerotto pode parecer um pastel, mas a massa é completamente diferente. Pensando bem eu poderia descrevê-lo como um risoles grande, mas ainda assim não seria o suficiente. De qualquer maneira é um salgado frito, recheado de mozzarella e tomate (classico) ou de salame picante e outros recheios. Existem também as versões doces com recheios de pera e chocolate, nozes e frutas mas a massa é um pouco diferente e é assada.

A lojinha é pequena, não tem mesas dentro e quase sempre você vê a fila que se estende pela rua e mistura turistas e milaneses que trabalham na região. O serviço é rápido e depois de poucos minutos cada um sai com seu panzerotto quentinho pronto para comer.

E onde? Se você quer entrar no clima dos milaneses a dicas são duas: ou sentado na calçada do outro lado da rua (todo mundo faz) ou saindo vire a direita e depois de uns 100 metros você encontra uma graciosa pracinha com uma igreja no fundo (Praça e igreja San Fedele). Sente-se e saboreie uma das coisas mais gostosas que Milão tem a oferecer.

Eu levo todo mundo que passa por aqui até lá. E todo mundo a-do-ra!

Luini

Via S. Redegonda, 16
Segundas: 10h-15h
Terças á Sábado: 10h-20h
Domingos e todo o mês de agosto: fechado

Natal em Milão: decoração, feirinhas e concertos

Primeiro de dezembro, rumo ao Natal e, em Milão, Natal quer dizer tradição.

A famosa árvore da Praça Duomo chegou ao local na última quarta-feira, mas só será acesa na próxima sexta-feira, dia de Santo Ambrosio, padroeiro da cidade.

A chegada da árvore na praça na última quarta-feira

Esse ano vai ser realizada e patrocinada pela relojoaria milanesa Gaga e será um pinheiro de 20 metros de altura e 8 de largura, decorado com neve artificial, laços vermelhos e 6.000 luzinhas de baixo consumo energético.

A prefeitura garante que será uma árvore elegante e de grande impacto visual, mas vamos ter que esperar até o dia 7 de dezembro para vê-la pronta e iluminada (prometo fotos).

Na famosa Galeria Vittorio Emanuele, a decoração de Natal desse ano vai ficar por conta da famosa grife Prada, que aproveita para festejar a abertura, em breve, da segunda loja nesse magnífico monumento da cidade.

A árvore do ano passado

Mas o Natal não é só feito de decoração e Milão esse ano propõe a tradicionalíssima feirinha (já existia uma iniciativa parecida no século XVI) Obei Obei, com suas barraquinhas de produtos artesanais espalhadas em volta do Castelo Sforzesco (do dia 7 ao dia 9 de dezembro).

Para a criançada a dica em Milão é o Villagio delle Meraviglie, montado nos Jardins Públicos de Porta Venezia até 6 de janeiro 2013, que oferece espetáculos para as crianças, pista de patinagem no gelo e também uma feirinha típica de Natal.

Feirinha pelas ruas de Milão

O Duomo de Milão também organiza com a prefeitura uma feirinha de Natal em volta da catedral de hoje até o dia 6 de janeiro 2013. Serão 100 barraquinhas vermelhas onde serão expostos e vendidos produtos artesanais e especialidades gastronômicas.

Para fechar com chave de ouro, não poderia faltar o tradicional Concerto de Natal da catedral milanesa, que esse ano será domingo 16 de dezembro, às 19, com estrada gratuita.

Fotos: internet

Sonhando Milão

Ontem passei o dia caminhando pela cidade atrás de novos conhecimentos e novos conteúdos para o blog.

Na parte da manhã tive o prazer de partecipar de uma caminhada de 2 horas e meia, conduzida por um histórico milanês em um itinerário pouco turístico e muito histórico-literário, por puro interesse pessoal.

Na parte da tarde mais 2 horas em uma visita guiada, na parte nova (post em breve) da minha menina dos olhos Gallerie d’Italia, para entender melhor a arte do século XX.

Quando deixei o museu já eram 16.30 e como estamos no final de novembro, já começava escurecer. Andando pelas ruas do centro congestionado de turistas e famílias (não amo o centro de Milão aos domingos), lembrei da caminhada da manhã, onde a maioria das pessoas do grupo se perguntavam o porque que tantos persistem em dizer que Milão é uma cidade feia e que não tem nada à oferecer. Lembrei também desse vídeo que descobri faz alguns meses , dirigido por Francesco Paccioco, e que para mim em cenas simples e cotidianas mostra a beleza dessa cidade pouco amada.

 

Passeios e tours

Quer coisa melhor do que conhecer uma cidade com quem vive nela há 14 anos, conhece a história, os costumes e ainda por cima fala a sua língua? Tudo isso no seu ritmo, porque o passeio é só para você ou sua família e amigos.