Posts

Italian Fashion, porque moda também é cultura

Quando falamos de estilo, falamos de uma condição única. Diferentemente de sua mais conhecida rival – Paris da alta-costura -, Milão propôs uma moda de alta qualidade e muita criatividade, mas que podia ser reproduzida em grandes quantidades. Surgem incríveis estilistas – nomes que certamente você conhece, como Giorgio Armani, Dolce & Gabbana, Gianni Versace e Valentino.

Onde fazer compras em Milão

Milão é conhecida como uma das cidades da moda e fazer umas comprinhas na cidade pode ser irresistível para certos turistas.

Além das grandes grifes italianas e estrangeiras, claro que a cidade oferece todos os tipos de lojas e produtos para todo o tipo de orçamento.

A cidade tem várias ruas e áreas com uma boa concentração de lojas e tento dar um resumo nesse post.

Lembrando que tudo se torna mais interessante durante as liquidações: as de verão começam no primeiro sábado de julho e as de inverno logo depois do Ano Novo.

Armani Silos e Mudec em Milão

Ainda longe da invasão turística, desde maio de 2015 o bairro de Zona Tortona ganhou dois novos museus, bem diferente entre eles: Armani Silos e Mudec, o Museo delle Culture.

O bairro, que tem um passado industrial recente, é cheio de grandes espaços como galpões, que nos últimos anos chamaram a atenção de grandes marcas da moda, que ali montaram seus show rooms e fotógrafos e artistas que estabeleceram seus estúdios.

Zona Tortona ‘ferve’ praticamente uma vez por ano, durante o Salão do Móvel, já que nas ruas do bairro é armado um dos espaços mais interessantes do Fuori Salone.

Consultoria de compras e imagem em Milão

Sabe aquele corte de cabelo que você adoraria fazer, aquela peça de roupa ou acessório que você acha lindo nos outros e também gostaria de comprar, mas sempre fica na dúvida porque não sabe se ficam bem em você, se combinam com seu estilo?

Pois a nova parceria do Milão nas mãos propõe consultoria de compras e imagem com atendimento em português em Milão,  com a Cláudia, que conhece vários cantinhos da cidade e lojas incríveis para todos os tipos de orçamento.

Porque se mudar o visual é legal, em Milão então, é melhor ainda.

Nascida há 30 anos em Milão, cresceu na cidade onde se formou em Economia com uma especialização em Gestão de Bens de Luxo. Já na época da faculdade, trabalhou para algumas marcas como Valentino e Loro Piana, até decidir  em 2012 (depois de uma breve experiência em NY) de partir novamente para o exterior.

Personal Shopping Milão

As dicas da Claudia no jornal ViviMilano

Querendo ir além das fronteiras europeias, as possibilidades nos países emergentes eram: Índia, Rússia, China e Brasil. Para uma garota italiana, sozinha, nada mais natural que escolher um país com a cultura e vida um pouco mais parecida com a italiana.

Cláudia escolheu o nosso Brasil e aterrissou em São Paulo, onde ficou por 2 anos, colaborando com empresas ligadas ao mundo da moda.

Na volta a Milão em 2014, começou a própria empresa de consultoria de imagem e personal shopping (só para falar de alguns serviços oferecidos) e pensou que era hora de oferecer seus serviços aos brasileiros de passagem pela cidade, já que os conheceu bem e com os quais mantém laços estreitos de amizades.

Nossos encontros e bate-papos em Milão sempre foram em português (que ela fala perfeitamente), porque como diz Cláudia, ela é paulistana no coração.

Foi por isso que não pensei duas vezes em apresentar essa nova parceria do blog com um bate-papo em forma de post-entrevista, realizada durante o encontro para as fotos publicadas aqui.

Por onde se comeca uma mudança de imagem? 

Eu sugiro de começar sempre mudando a coisa que mais te incomoda, seja isso o corte ou a cor do cabelo, a maquiagem ou um estilo. Assim a pessoa já tira o problema maior, fica satisfeita e tem mais coragem para dar os passos seguintes.

Quais são os serviços que você oferece?

Minha consultoria abrange todos os aspectos relacionados à imagem, a 360 graus. Da seleção das peças no guarda-roupa, ao restyling total, até pacotes dedicados para eventos especiais ou para profissionais que precisam estudar uma imagem estratégica que aumente sua eficiência no trabalho.

Mas o turistas brasileiro que passa por Milão por pouco tempo como pode aproveitar teus serviços?

Bem para os turistas pensei em pacotes “fast”. Como aprendi a conhecer o gosto brasileiro, a minha ideia é levá-los em lugares selecionados e sugerir a melhor seleção de peças para ter o verdadeiro Italian Style, mas sem gastar tempo ou dinheiro nas lojas erradas.

consultoria compras imagem Milão

Claudia propõe profissionais frequentados também por ela

Eles podem marcar comigo um tour das lojas para compras, assim como pacotes de cabeleireiro, maquiagem, estética ou spa.

Os serviços podem ser  usufruídos por  mulheres e homens?

Claro! Aqui na Itália, a maior parte dos meus clientes são homens! Talvez porque mulheres são mais acostumadas a lidar com aparência.

3 coisas em comum no estilo brasileiro e italiano:

Acho que italianos e brasileiros têm bastante em comum. Falando do estilo, todos nós temos muita atenção pela nossa imagem e como os outros nos veem, cuidamos do corpo e do bem-estar em geral e estamos bem informados sobre as tendências da moda.

3 coisas diferentes no estilo brasileiro e italiano:

A primeira coisa que reparei é que no Brasil o pessoal se arruma muito mais para sair (mão, cabelo, acessórios). Nós aqui fazemos isso só para festas ou eventos importantes.

As brasileiras geralmente têm look mais sexy e aqui somos mais “andrógino” e casual. Quanto aos homens é o contrário: a moda masculina ainda é pouco presente no Brasil e muuuuuito seguida aqui.

Garimpando acessórios pelas lojas de Milão

Garimpando acessórios pelas lojas de Milão

Uma peça coringa no guarda-roupa feminino e no masculino?

No feminino é a camiseta básica, branca ou preta: dependendo das combinações com acessórios e maquiagem pode ser esportiva, elegante, sexy, cool.

No masculino eu sou fã de um bom sapato elegante. Combina com jeans e com terno e dá sempre um toque dandy ao visual.

Uma coisa que as pessoas deveriam evitar?

Um visual “forçado”, que não deixa a pessoa segura e tranquila.

Uma loja fast fashion?

Zara, sempre!

Uma loja entre a fast fashion e luxo?

Norrmode, na piazza Tricolore. Tem pecas lindas e pouco comuns.

Uma loja de luxo?

Antonia, a de Brera ou a do Excelsior.

Antonia

Em Milão: um restaurante, um bar para aperitivo, um museu… 

Restaurante tenho curtido muito o The Small, que é bem pequeno, mas cool e aconchegante, com comida boa e gente bacana.

O aperitivo dos milaneses é no Navigli! No Mag ou no Ugo, onde tiver lugar!

Museus eu amo o PAC e a Triennale: arte contemporânea incrível e lugares lindos. Não dá para perder a Darsena, que acabou de ser inaugurada e  Mercado Municipal do Navigli, novinho e com especialidades de todos os países.

De uma paulistana para uma milanesa: Milão e São Paulo são assim tão iguais?

São!! Em primeiro lugar são as duas cidades mais subestimadas dos nossos países: o pessoal só conhece o lado econômico, mas as duas têm lugares lindíssimos e são incríveis para viver: arte, moda, cinema, comida, dá para experimentar o melhor de tudo! E somos (milaneses e paulistanos) beeeem menos fechados e “frescos” do que as pessoas acham!

Para entrar em contato com a Claudia, mande um email para info@milaonasmaos.it que encaminharemos os pedidos de informações e orçamentos.

Nota: Claudia é uma parceira do Milão nas mãos e ao contratá-la o blog recebe uma comissão pela indicação, sem que você pague nada a mais por isso. Leia aqui para saber mais da nossa politica de monetização.

Milão, a moda e o design

Barcelona, Milão, Porto. O que essas cidades tem em comum?

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva Barcelona- Milão-Porto, que todas as quinta de Abril vai mostrar um pouco das coisas em comum dessas 3 grandes cidades europeias, pontos de referências em seus países, com a participação de Cristina Rosa do blog  Sol de Barcelona e Rita Branco do blog O Porto Encanta.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Séculos de história como capital do Império Romano, inúmeras igrejas de grande valor artístico e cultural, a Santa Ceia, os códigos de Leonardo Da Vinci….a lista é grande, mas quando alguém pensa em Milão, pensa na moda e no design.

Impossível negar a importância e a qualidade da criatividade milanesa nesses dois setores, importantes seja industrialmente, seja economicamente para a cidade.

A moda pret-a-porter italiana como a conhecemos hoje, começa a se desenvolver nos anos 80, quando o eixo de produção e desfiles passa de Florença a Milão. A transformação foi inevitável já que na grande década,  os yuppies e publicitários italianos estavam em Milão e em volta deles começaram a gravitar as mentes criativas da moda italiana e milanesa.

Richard Gere no filme Gigôlo Americano

Richard Gere no filme Gigôlo Americano

Armani, Versace, Krizia, Moschino, Prada (que é mais antiga), Dolce & Gabbana, só para citar as marcas mais conhecidas, abrem suas lojas e shows rooms na cidade, e a moda italiana ganha as páginas de revistas de moda americanas e até o cinema, com Giorgio Armani que veste um jovem Richard Gere em Gigôlo Americano.

Dos anos 80 para cá, o setor cresceu, se estabeleceu, todas essas marcas viraram pequenos impérios e referência no mundo, de qualidade e elegância.

A loja Armani no Quadrilátero da Moda

A loja Armani no Quadrilátero da Moda

Difícil desassociar a cidade da idéia de moda, ainda mais quando você dá uma voltinha nas quatro ruas mais famosas do mundo da moda, que formam o chamado Quadrilátero da Moda. Uma verdadeira concentração de marcas famosas, italianas e não, que são um deleite para os olhos e uma perdição para o orçamento.

Já o design milanês começa a sua sólida história no  início do século 20, quando os mais famosos arquitetos, formados no Politécnico de Milão, começam a trabalhar com design industrial para grandes fábricas de louças e móveis.  Giò Ponti, Gae Aulenti, Achille Castiglioni, Piero Fornasetti, sobre o qual contamos nesse post, desenham objetos de decoração que se tornarão ícones de modernidade e do Italian Style, como a famosa luminária  (que eu a-do-ro) Arco desenhada por Castiglioni nos anos 60.

Luminária Arco, de Achille Castiglioni

Luminária Arco, de Achille Castiglioni

Esses são os anos também de movimentos artísticos locais como o Futurismo e o movimento Novecento, os anos da arquitetura racionalista italiana, da fundação da revista Domus,  da construção do Palácio da Triennale, inaugurada em 1933 para ser a sede das Exposições Internacionais das Artes Decorativas e Industriais Modernas e da Arquitetura Moderna. Hoje, a Triennale é um museu de grande importância para o setor e para os amantes de design.

Com o boom da publicidade nos anos do pós guerra, o design gráfico invade as propagandas de grande marcas e lojas, como é o caso da Campari e da loja de departamentos La Rinascente.

campari_1926_depero1

7702abf1be6672e0101dd3ff21a0e1d5

Celebração anual do design italiano, é o famoso Salão do Móvel de Milão, que acabou de acontecer e que todos os anos trás à cidade, cerca de 400 mil visitantes em busca de inspiração e negócios.

Mas o que faz a moda e o design milanês famosos no mundo e os torna ícones da cidade, não são só a qualidade e criatividade. Esses dois setores se consolidaram com um sistema  baseado em um equilíbrio produtivo entre business, cultura, profissionais, críticos, comunicadores, artesãos, empresários e, no caso do design, com centros de pesquisa como o Politecnico de Milão.

Para conhecer os ícones de Porto e Barcelona, clique nos links abaixo:

O Sol de Barcelona

O Porto Encanta