Posts

HangarBicocca

O HangarBicocca é um dos espaços expositivos mais interessantes de Milão. Nasce em 2004 depois das reformas no que foi por um século (1886-1985) a sede dos estabelicimentos Breda, fabricantes de locomotivas elétricas e a vapor e máquinas agrícolas.

museus Milão

O espaço polifuncional é voltado à produção, exposição e promoção da arte contemporânea, com uma atenção particular as disciplinas visivas e performáticas.

O acesso é gratuíto e as exposições são sempre compostas de mostras temporárias da duração de mais ou menos 2 meses (consultar site) e de 2 exposições permamentes: A Sequência, di Fausto Melotti, que fica na parte externa do hangar e Os Sete Palácios Celestes, do artista alemão Anselm Kiefer, 7 torres de 90 toneladas cada, de alturas varíavies entre 14 e 18 metros colocados no pavilhão posterior chamado Navada.

Os sete palácios celeste (Anselm Kiefer)

Logo na entrada, do lado esquerdo fica o espaço para as crianças HBKids, onde além de brincar é possível partecipar das oficinas realizadas para aproximar as crianças e jovens à arte (calendário em inglês).

Na frente do HBKids fica o bom restaurante bistrot Dopolavoro, com opções no almoço e jantar de massas, saladas e sanduíches preparados com atenção e com preços justos. Durante o happy hour eles propõe os creativos rubbits, pequenas porções (mini sopa, mini hamburger, mini kebab…) para acompanhar uma cerveja ou uma taça de vinho. Aos domingo a alternativa é o brunch.

O HangarBicocca coloca também à disposição do público uma biblioteca (HB Lab) para a consulta de livros e revistas de arte.

Vale uma visita!!

HangarBicocca
Via Privata Chiese, 2
De seg á qua: fechado
De qui à dom: das 11.00 às 23.00
Ingresso gratuito

Happy hour no museu Poldi Pezzoli

Aqui na Itália, o happy hour é uma invenção milanesa e é chamado de aperitivo. É o momento, depois de um dia de trabalho e mesmo nos finais de semana, daquela taça de vinho ou drink com os amigos, tudo acompanhado (como manda a tradição milanesa) de muita comida.

Sim, porque aqui happy hour não quer dizer drink acompanhado de amendoins e batatinhas. Mas isso é coisa para um post sério sobre o assunto.

Juntando-se as mais variadas opções de happy hour da cidade, a casa museu Poldi Pezzoli,  no meio do quadrilátero da moda, propõe a partir de outubro, todas às quartas-feiras, das 18 às 21, o Aperitivo al Museo.

Foto: ViviMilano

O Museu Poldi Pezzoli é um dos tesouros da cidade, uma casa na Via Manzoni onde por anos Gian Giacomo Poldi Pezzoli reuniu centenas de obras de arte (mas isso também é assunto para um outro post), algumas de valor inestimável.

Que lugar melhor na cidade de Milão para bebericar um drink no final da tarde, senão em uma autêntica residência do século 19 forrada de obras de artes e ainda com os móveis originais?

Aperitivo al Museo
Todas as quartas-feiras das 18 às 21 (a partir de outubro)
Museo Poldi Pezzoli
Via Manzoni, 12
Happy hour  e visita museu  9 euros
 
 

Mostra Constantino 313 d.C

Muita gente não sabe, mas Milão foi capital do Império Romano do Ocidente de 286 até 402 d.C. Era a Mediolanum para os romanos.

Hoje resta pouquíssimo das construções romanas na cidade e a maior parte dos restos são acessíveis nos subterrâneos de edifícios, mas Milão era dotada de circo, termas, anfiteatro, teatro e palácios imperiais.

Um dos episódios mais importantes da Milão Imperial foi a proclamação em 313 d.C, por parte do imperador Constantino, do Édito de Milão, também conhecido como Édito da Tolerância, que declarava que o Império Romano seria neutro em relação ao credo religioso dos habitantes, legitimando o cristianismo e outras religiões e acabando oficialmente com as perseguições.

Para comemorar em 2013 os 1.700 anos da proclamação do édito, o Museu Diocesano de Milão inaugura, na póxima quinta-feira, no Palazzo Reale uma grande mostra com um percurso dividido por temáticas: Milão capital imperial, a conversão de Constantino, os símbolos de poder do Imperador, entre outras.

Ao todo serão mais de 200 objetos preciosos de arte e arqueologia provenientes de vários museus internacionais (Londres, Viena, Washington e Paris). Uma parte da mostra será dedicada a Helena, mãe do Imperador, figura de grande importância dentro da corte e que mais tarde se tornou santa.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Costantino 313 d.C
De 25 outubro 2012 à 17 março 2013
Palazzo Reale – Praça Duomo, 12
Segundas das 14.30 às 19.30
De terça à domingo das 9.30 às 19.30 (quintas até às 22.30)
Ingresso: 9 euros

 

Como visitar a Última Ceia de Da Vinci

Esse não é um post sobre a Última Ceia. Este é um post de como visitar a Última Ceia de Da Vinci, organizando-se em tempo para comprar os bilhetes, porque vir a Milão e não vê-la é como do que ir a Roma e não ver o Papa.

Uma das maiores e mais conhecidas obras de arte em todo mundo, visitar a Última Ceia requer uma boa dose de organização antecipada. Sim, porque não conheço ninguém que tenha chegado lá, comprado o bilhete e entrado.

A visita à obra é organizada em grupos de 25/30 pessoas que entram para adimiradá-la por 15 minutos. Depois as portas se abrem e o grupo é gentilmente convidado a sair. Por isso, por dia são admitidos um certo número de pessoas e é aí que a coisa fica concorrida.

Última Ceia Da Vinci Milao

A temporada da primavera-verão é sempre a mais concorrida e quase impossível, com a quantidade de turistas que invandem a cidade e que aumenta a cada ano. No inverno a coisa talvez melhore um pouco, mas é melhor se antecipar, já que é também a época das visitas escolares. As vendas abrem (geralmente) com 3 meses de antecedência (em outubro abrem as vendas para janeiro assim por diante, mas ultimamente esse tempo tem se reduzido e as vezes abre de um mês para o outro). Se você já sabe quando vem, melhor garantir. E atenção, ela fecha às segundas.

Os bilhetes para a Santa Ceia são vendidos no site oficial Viva Ticket ou por telefone (onde a disponibilidade de ingressos é um pouco maior). No site é possível também reservar os audioguias (3,50 euros) que estão disponíveis em italiano, inglês, francês, alemão, espanhol, russo, mandarim e japonês. Se você mastiga pelo menos uma dessas línguas, aconselho o audioguia.

Para retirar os bilhetes você tem que se apresentar 20 min. antes do horário da visita com o recibo do pagamento feito pela internet.



Para quem não consegue comprar pelo site, onde os bilhetes muitas vezes se esgotam no dia que são colocados à venda, uma opção pode ser compra-los pelo site GetYourGuide, onde muitos dos meus leitores e até clientes de tours por Milão, conseguiram comprar. É mais caro, mas as vezes é a única opção.

LEIA TAMBÉM A HISTÓRIA E CURIOSIDADES DA ÚLTIMA CEIA NESSE POST

Cenacolo Vinciano

Piazza Santa Maria delle Grazie, 2 (Corso Magenta)
Bilheteria: de terça a domingo das 8.15 às 18.45
Vendas de bilhetes pelo telefone (italiano e inglês) 0039 02 92 800 360
 
*Esse post contém link para afiliados (GetYourGuide). Para saber sobre nossa política de monetização, clique aqui.

Picasso em Milão

Picasso está em Milão. Não é a primeira vez, já que a cidade hospedou 2 mostras históricas no artista espanhol em 1953 e 2001. Mas uma mostra de Picasso causa sempre efeito por onde passa e por aqui não será diferente.

Aberta em 26 de setembro, estarão em exposição um pouco mais de 200 obras,  quadros, esculturas, desenhos e livros ilustrados, trazidas do Museu Picasso de Paris e algumas expostas pela primeira vez fora do museu parisiense que ficarão nas salas do Palazzo Reale até 6 de janeiro de 2013.

A mostra reúne obras-primas como Paul vestido de arlequim (1924), Celestina (1904) e Retrato de Dora Maar (1937).

Paul vestido de arlequim (1924)

Com a curadoria de Anne Baldassari, conhecida a nível mundial como uma das maiores estudiosas de Picasso e curadora do Musée National Picasso di Parigi, a mostra é uma excursão cronológica na produção do artista e cobre todas as fases fundamentais de sua carreira.

Mostra Pablo Picasso
Palazzo Reale – Piazza Duomo, 12
Até 27 de janeiro 2013
De segundas às quartas das 8.30 às 19.30
De quintas aos domingos das 9.30 às 23.30
Ingressos: 9 euros