Posts

Guia rápido aos museus de Milão

Milão tem uma rede de museus incrível ainda que seja pouco conhecida pelos turistas, mais interessados nos museus “famosos” , aqueles que todos já ouviram falar.

Arte clássica, religiosa, contemporânea, moderna, design, ciências, brinquedos, instrumentos musicais, arqueologia, móveis, animais, futebol…a lista é longa e confesso que, mesmo eu, que moro aqui não conheço todos e não escrevi sobre todos.

Foi pensando nisso que resolvi concentrar em um post as dicas de alguns museus de Milão, resumindo um pouquinho cada um e dando meus pitacos do que não perder em alguns deles. A ordem é puramente casual. Para as informações sobre horários de abertura e preços, clicar no link do site de cada museu.

 Pinacoteca de Brera

“O” museu de Milão. Se você tiver tempo para um museu, o seu museu é a Pinacoteca de Brera.

Pensada em época napoleônica como mero suporte aos estudantes de arte da Academia de Belas Artes que fica no mesmo palácio, ao longo dos anos se enriqueceu com aquisições e doações de milaneses abastados e tem um acervo riquíssimo, que vai da arte gótica, medieval, barroca, até chegar na arte moderna e contemporânea. Leia o post sobre a Pinacoteca de Brera aqui.

Não perca: O Cristo Morto de Mantegna – O casamento da Virgem de Raffaello – La Palla Moltefeltro de Piero della Francesca – Ceia em Emmaus de Caravaggio – O Beijo de Hayez

Site da Pinacoteca

 Pinacoteca Ambrosiana

Importante instituição milanesa, fundada no século 17 pelo cardeal Federico Borromeo, faz parte de um complexo maior, que inclui uma das mais importantes bibliotecas italianas.

A grande coleção de arte privada deixada pelo então cardeal, vai dos grandes nomes da pintura italiana, passando pela arte flamenga.

É a pinacoteca-biblioteca que hospeda parte dos Códigos da Vinci (junto com a sacristia de Santa Maria delle Grazie), expostos por tema a cada 3 meses.

Não perca: O rascunho da Escola de Atenas de Raffaello – Os Códigos Atlânticos de Leonardo Da Vinci – A Cesta de Fruta de Caravaggio – Retatro de Músico de Da Vinci – e ainda Bramantino, Luini, Botticelli entre outros.

Site da Pinacoteca e Biblioteca Ambrosiana

 Museu 900

Um dos mais ‘novos’ museus milaneses, foi inaugurado há menos de 5 anos e reune a coleção de arte contemporânea da prefeitura de Milão com ênfase nos artista italianos, mas com obras de Picasso, Modigliani, Paul Klee.

Ainda que o percurso expositivo não seja muito intuitivo, o passeio pelo Palácio Arengário já é em si, um programão. Leia o post sobre o Museu 900 aqui.

Não perca: O Quarto Estado de Pelizza da Volpedo – As obras futuristas de Boccioni, Balla e Carrà. Os quadros de De Chirico.

Site Museu Novecentos

 Museu Teatral alla Scala

È o museu do famoso teatro de lírica, que fica na homônima praça. Se você não é um apaixonado ou expert em música clássica, uma vale a entrada  para conhecer a belíssima sala, que tem a visão disponível através de um dos camarotes. Leia o post sobre o Teatro alla Scala aqui.

Site do Museu Teatro alla  Scala

Gallerie d’Italia

Grande coleção de arte privada do banco Intesa San Paolo, é dividida entre a arte moderna e contemporânea, expostas separadamente nos dois palácios que já valeriam a visita. Eu adoro. Leia o post sobre a Gallerie d’Italia aqui.

Não perca: As obras do futurista Umberto Boccioni, os gessos de Antônio Cavova, Lucio Fontana, Michelagelo Pistoletto.

Site Gallerie d’Italia

Museu do Duomo

Reinaugurado há pouco mais de 1 ano, é o museu da grande catedral milanesa e tem a tarefa de reunir e expor a história do momunento mais importante da cidade, através de seu tesouro, estátuas e vitrais originais, estudos e projetos para construção. Para quem quer entende melhor o nosso grande Duomo. Leia o post sobre o useu do Duomo aqui.

Dicas museus em Milão

Não perca: As gárgulas originais do século 15, o esqueleto da estátua da Madonnina, o modelo em madeira do Duomo.

Site do Museu do Duomo

 Galeria de Arte Moderna – GAM

Situada na belíssima Villa Reale, concentra a coleção de arte moderna da prefeitura, expondo quadros e esculturas do século 19.

Museu Arqueológico

Porque Milão foi capital do Império Romano por quase 2 séculos e tem muito o que contar e expor dessa época. Situado na área onde ficava o Circo Romano, ainda hoje conserva na parte posterior uma das torres restante da importante construção.

Arte romana, grega, etrusca e das civilizações bárbaras compõe o interessante acervo.

Site do Museu Arqueológico

 Museu da Ciência e Tecnologia Leonardo Da Vinci

Partindo as engenhosas invenções do gênio Leonardo Da Vinci, a coleção do museu explora a relação dos homens com as máquinas. Um dos museus de ciência e tecnologia mais importantes do mundo, é um dos favoritos das crianças.

Não perca: o submarino Toti.

Site do Museu de Ciência e Tecnologia

 Museu de História Natural

Museu que reune a coleção botânica, zoologica e mineral da cidade, o ponto forte é uma grande coleção de fósseis e a reconstrução dos habitats naturais dos animais, expostos em grandes vitrines. Expõe também o único esqueleto de dinossauro existente na Itália.

Site do Museu de História Natural

Museus do Castelo Sforzesco

A maior concentração de arte, propriedade da prefeitura, em um único lugar. As coleções são divididas nos vários museus: arte antiga, pinacoteca, instrumentos musicais, móveis, egipcio, artes aplicadas. Tudo pelo preço do bilhete único. Leia o post sobre o castelo e seus museus aqui.

Não perca: A Pietà Rondanini di Michelangelo, a Sala de Asse afrescada por Da Vinci, as armas e armaduras medievais.

Site do Castelo Sforzesco e museus

Triennale Design Museum

A cidade do design não poderia deixar de ter um museu dedicado ao assunto. O famoso Palazzo della Triennale, de arquitetura racionalista (anos 30), apresenta uma exposição que muda todos os anos, além da coleção permanente de design e mostras temporárias.

Site da Triennale Milano

Palazzo Reale

Antiga residência ducal e posteriormente dos governantes da cidade, hoje é a sede das mais importantes mostras temporárias da cidade, com pelo menos 2 ou 3 delas acontecendo contemporaneamente (com bilhetes separados).

Não perca: as mostras na Sala das Cariátides, destruída durante a Segunda Guerra Mundial e mantida como ficou para lembrar as destruições da guerra. Mesmo assim, é linda.

 Museu San Siro

Situado dentro do famoso estádio, expõe uniformes, chuteiras, troféus dos dois times oficiais da cidade: Internazionale di Milano e Milan. A visita inclui também um tour pelos vestiários e pelo campo. Leia o post sobre o Estádio de San Siro aqui.

Site do Museu San Siro

 As casas museus

Milão tem 4 casas museus extraordinárias, que propõe percursos, objetos e o modo de viver na cidade em épocas bem diferentes.

As mais próximas como estilo uma da outra são Bagatti Valsecchi e Museu Poldi Pezzoli, a primeira é uma das mais bem preservadas da Europa e é uma casa do século 19, mas sendo a família amante do Renascimento,  a casa era decorada com móveis, objetos e obras e arte da época. Também do século 19 a segunda,  situado no palácio onde viveu o colecionador Giacomo Poldi Pezzoli. A construção foi bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial, por isso os ambientes são em algumas partes, reconstruídos. Mesmo assim, é ainda uma das grandes coleções privadas da cidade, com obras de grandes pintores dos ´séculos 14 e 15.

Do início do século 20, é a minha menina dos olhos, a minha preferida entre as quatro. Villa Necchi Campliglio foi construída nos anos 30 pelo grande arquiteto milanês Portaluppi em estilo racionalista para o casal Necchi Campiglio. A casa é uma jóia da arquitetura moderna da época e foi habitada até 2004. Ainda é possível admirar as roupas e acessórios das irmãs Necchi nos ármarios.

estatua-varanda-necchi

O ex apartamento do casal Boschi Di Stefano é a única casa museu com entrada gratuita de Milão. Grandes colecionadores de arte contemporânea, deixaram tudo a prefeitura da cidade para que essa criasse uma casa museu.

As salas do apartamento no prédio também projetado por Portaluppi são cobertos de quadros de Lucio Fontana, Segantini, De Chirico Leia o post sobre as casas museus de Milão aqui.

Site das Casas Museus de Milão

Dica: a melhor solução para visitar as casas museus, é comprar o bilhete acumulativo de 20 euros, que tem duração de 6 meses. Custa menos do que pagar o bilhete separadamente nas 3 primeiras.

Ao museus municipais tem uma carta que dá direito a uma entrada em cada por um preço mais conveniente que pagar cada um separadamente. Leia sobre isso nesse post.

Um novo espaço para a Pietà Rondanini

Quem atravessa a torre do Castelo Sforzesco e entra na Praça das Armas se maravilha com a arquitetura, com as torres, mas provavelmente poucos notam uma construção retangular que fica à esquerda da praça.

Construído pelos espanhóis na segunda metade do século 16, era a enfermaria destinada aos soldados do castelo e a partir do ano que vem, em tempo para a Expo2015, será o espaço que vai acolher de maneira definitiva a grande escultura de Michelangelo, a Pietà Rondanini, esculpida entre 1552-1554 pelo artista toscano

Castello Sforzesco Milano

Um ano de restauros para trazer a luz os afrescos nos muros e no teto, que traz a escrita do Credo Apostólico ‘Sali in cielo, siediti alla destra di Dio, Padre onnipotente’ , palavras que resumem a própria essência do cristianismo. É o momento exatamente seguinte da Pietà, que será colocada na sala, embaixo da frase afrescada.

A escolha da enfermaria espanhola não é casual. Lugar de dor e morte, é em sintonia com a escultura insólita do artista toscano (geralmente nas pietàs, Maria está sentada segurando o corpo de Jesus) que cristaliza a dor sem fim de uma mãe que segura o corpo do filho morto.

A escultura, comprada pela prefeitura de Milão em 1952, está apoiada em cima de uma placa anti-sísmica fabricada no Japão, por causa das vibrações da linha do metrô que passa embaixo do castelo.

Michelangelo Milão Pietà

Quem entrar, vai vê-la de costas e pouco a pouco vai descobrir os detalhes mais ou menos acabados da escultura, colocada na enfermaria com uma decoração minimal, feita de poucos bancos e uma pequena livraria monotemática.

O meu deslumbre pela obra eu nunca escondi, está escrito, palavra por palavra em cada post onde pude inseri-la. Para mim, é a maior obra de arte dessa cidade (e olha que temos aqui a Última Ceia de Leonardo da Vinci).

Pietà Rondanini – Castelo Sforzesco
Terças a Domingo das 9 às 19h
Ingressos: 5 euros (inteiro) – 3 euros (reduzido – acima de 65 anos com documento) – grátis (até 18 anos)
* O ingresso é único e vale para visitar a Pietà e todos os ouytros museus do Castelo Sforzesco.

OBS: Post atualizado em 11/05/2015

Fotos: Página FB da Prefeitura de Milão e Milão nas mãos

 

Muba: museu da criança em Milão

 

Milão esperou anos para ter uma sede definitiva para o Museu da Criança.

Em dezembro do ano passado, finalmente a cidade ganha o Muba, Museo del Bambino, localizado na antiga igreja desconsagrada de São Miguel que faz parte da Rotonda della Besana, utilizada em época renascentista como área de cemitério do hospital da cidade, que ficava nas imediações.

dicas crianças Milao

Confesso que a trupe Milão nas mãos acabou demorando um pouco para conferir o novo espaço dedicado “ai piccoli”, mas em outubro tínhamos uma hóspede de 7 anos em casa e em um sábado de sol resolvemos nos inscrever em um dos laboratórios propostos pelo museu.

Saber que você está entrando em uma antiga igreja, faz com que você repare na arquitetura do espaço e até nos capitéis das colunas, decorados com estátuas de crânios, visto a função do lugar.

milão com crianças

O museu é pensado como um grande laboratório, essencialmente para crianças italianas ou que falem italiano, já que as atividades propostas são guiadas por monitores.

A programação muda a cada mês e em outubro acabamos escolhendo pela ‘Feira de histórias’ onde depois da explicação dos monitores, as crianças podiam “comprar” vários ingredientes nas bancas montadas no espaço e depois compor uma história, que por sua vez, podia ser escutada por outras crianças e pais em outras banquinhas espalhadas no espaço do laboratório.

milão com crianças

milão para crianças dicas

Nem preciso dizer que as mascotes se divertiram pensando no personagem, na história a contar. Até a nossa hóspede, que não entendia nada de italiano, depois da nossa tradução da explicação, participou muito bem do percurso.

Menos voltado para os turistas estrangeiros, o Muba é uma oportunidade para quem mora em Milão ou arredores e tem filhos, de passar uma tarde de final de semana diferente na cidade.

O espaço também conta com uma livraria e um bistrot/restaurante.

Muba – Museo del Bambino
Rotonda di Via Besana
De terça a domingo – consultar horários dos laboratórios clicando no site
Ingressos: 8 euros crianças e 7 euros adultos
 

Leia também:

Dicas de Milão para crianças com informações sobre outros museus

5 motivos para visitar Milão em 2015

Dois mil e quinze: esse é ‘O’ ano para a cidade de Milão.

Colocada em 3 lugar na lista dos 10 países para se visitar ano que vem pela Lonely Planet, a cidade vai chamar a atenção do mundo e espera receber 20 milhões de turistas no ano que vem.

Considerada por muito anos pelos viajantes como sem graça, entediante e muito business e vista como patinho feio se comparada as irmãs Florença, Roma e Veneza, Milão mais uma vez se reinventa e abre suas portas para hospedar o terceiro maior evento mundial.

Para quem já conhece a sabe que passar por aqui é sempre se atualizar com o que acontece de melhor na Itália ou para quem nunca veio, conheça os 5 motivos para visitar Milão em 2015.

1. Expo 2015

O evento ainda é bem desconhecido do grande público ou pelo menos pelos brasileiros. Ultimamente é uma pergunta frequente dos meus clientes, que chegam na cidade e dão de cara com o grande logo do evento espalhado pela cidade: o que é a Expo¿

Organizada pela primeira vez em 1851 em Londres, por vontade do príncipe Alberto, reunia em uma época onde as informações não eram acessíveis rapidamente a todos, o que existia de mais novo no mundo das artes, ciências, inovações, educação e comércio.

Hoje, o terceiro maior evento do mundo (depois da Copa e Olimpíadas) é realizado a cada 5 anos em um país diferente e discute temas de interesse universais.

A Expo2015 Milano, que terá cerca de 147 países partecipantes e vai propor um tema de grande interesse mundial: alimentação. Nutrir o planeta, energia para a vida será o tema discutido nos 6 meses de exposição, que vaia contecer de 1 de maio a 31 de outubro em uma área que está sendo construída especialmente para o evento e que terá a estrutura das antigas cidades romanas com duas ruas principais que se cruzam: o cardo e o decumano.

Rendering da Praça Itália na Expo2015 - Foto Expo2015

Rendering da Praça Itália na Expo2015 – Foto Expo2015

Para saber mais sobre o evento, leia esse post e esse post onde contamos um pouco mais sobre a Expo2015.

Os ingressos já estão a venda no site do evento, clicando aqui.

Para reservar seu hotel, dê uma olhada no nosso post com dicas de hotéis em Milão por bairros.

2. As grandes mostras

Nos últimos anos, Milão vem se confirmando como um dos grande pólos culturais italianos e europeus com uma programação variada de mostras expostas em museus de grande importância da cidade.

Ano que vem, essa programação recebe uma atenção diferenciada em vista da Expo e Milão recebe trabalhos reunidos mais vistos antes.

É o caso da mostra das mostras, Leonardo 1452-1519, dedicada ao grande gênio italiano Leonardo Da Vinci, que em Milão viveu quase 20 anos deixando aqui, entre outras obras, a sua célebre Última Ceia.

A maior mostra sobre o artista toscano até hoje realizada na Itália, será inaugurada 15 dias antes da abertura da Expo, no dia 15 de abril, data de nascimento de Da Vinci. Dividida em 12 temas, vai percorer transversalmente as obras do artista, através da exposição de inúmeros desenhos, códigos, estudos de pintura e anatomia, quadros e anotações provenientes de vários museus e coleções de todo o mundo.

leonardodavinci_milao

O Museu 900 hospeda nos seis meses da exposição a mostra “A coleção ideal de arte italiano do século 20”, o melhor da coleção contemporânea de 5 grandes museus italianos.

A Triennale de Milão, grande museu dedicado ao design italiano, em sincronia com o tema tratado, apresenta uma mostra sobre utensílios de cozinha.

Se o bate boca entre as cidades (típico por aqui) se resolverá de forma positiva, se fala também de quadros de Caravaggio, nascido em Milão, expostos em ocasião da Expo.

Mas quem passar por aqui, além de tudo isso, poderá também se abastecer de arte e cultura nas casas museus, visitando a Última Ceia e a Pietà Rondanini de Michelangelo.

3. Programação do Teatro Scala

De novo, tudo culpa da Expo.

Para atender a demanda de turistas previstos durante o evento, o grande teatro italiano de lírica, apresenta no ano que vem uma programação oversize.

Tudo começa no próximo dia 7 de dezembro, quando ‘La prima delle Scala’ apresenta a ópera Fidelio de Beethoven dirigida pelo maestro Daniel Barenboim.

De maio a outobro do ano que vem, o teatro vai permanecer aberto todas as noites para apresentar cerca de 17 óperas (Tosca, Bohème, Turandot, Aida, Carmen, Cavalaria Rusticana entre outras), além dos concertos da orquestra filármonica e das apresentações de ballet (Giselle, Bella Adormecida, Quebra-Nozes, etc).

A direção o teatro promete também cerca de 20-25 espetáculos com preço reduzido pela metade e com a venda de ingressos diretamente nas bilheterias do teatro.

Pode ser a sua chance de conhecer La Scala di Milano.

4. Milão de cara nova

Um evento das dimensões da Expo e todos os gastos que ele comporta para a cidade, não acontece sem que rios de polêmica sejam levantados.

Mas o evento está aí e vai acontecer e a cidade está se preparando para isso, aumentando a infra-estrutura e restaurando pontos turísticos e históricos da cidade, como a limpeza da Galeria Vittorio Emanuele, a reforma da Darsena (o ‘porto’ na linda área dos canais) e a restauração de portas e estátuas da cidade.

No quesito transporte público, novas estações deverão ser abertas e a linha lilás (M5) deve chegar finalmente até o estádio de San Siro.

5. Os arredores de Milão

Sim, os arredores sempre estiveram e estarão aqui e você não precisa de motivos especiais para conhecer as belezas da Lombardia, Piemonte e Veneto, mas quem passar por aqui ano que vem com certeza vai dedicar alguns dias para explorar melhor o Bel Paese.

Nada melhor do que explorar cidades vizinhas e de grande beleza como Bérgamo, Turim, Como e Bellagio, Mântua, a linda região dos nossos espumantes Franciacorta, Verona e Veneza, entre outras e quem sabe se dedicar a conhecer os Patrimônios Unesco da Lombardia pelo caminho.

Lago de Como arredores Milão

Lago de Como – Foto Milão nas mãos

Grande parte das cidades perto de Milão estão se preparando para o fluxo de turistas que visitará Milão e também estão preparando um calendário para agradar turistas e locais.

Ou seja, se você estava pensando em vir para cá, que tal ano que vem?

Para atualizações sobre a Expo2015 e os eventos em Milão, siga o Milão nas mãos no Facebook, Twitter e Google +