Posts

Outono em Milão e seus lugares bonitos

Este post faz parte da Blogagem do Outono Europeu, uma série de posts sobre o outono europeu que o Milão nas mãos, juntamente com outros blogs brasileiros de cidades europeias, estará publicando.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Pode-se dizer tudo de Milão, menos que seja uma cidade colorida. É assim e se aceita, é assim e nos esforçamos para vermos, na falta de cor das suas belas arquiteturas, a sua beleza.

Mas ainda que no imaginário coletivo seja a Primavera a estação das cores, na minha opinião é o outono, na suas variações de tons de amarelo, vermelho e  laranja, que doa a cidade os meses mais bonitos do ano.

parques milao

Parque Sempione

É o momento de apreciar aquelas manhãs que começam a serem frias mas com sol, que faz espaço entre as folhas multicores das árvores que cairão com o próximo vento.

E é por isso que entre os lugares mais bonitos na cidade nessa estação, estão os parques. Sim, pode parecer óbvio, mas nada tira deles o primeiro lugar. Com isso, uma caminhada no Parque Sempione depois de passar pelo Castelo Sforzesco, ou  o meu preferido Giardini Pubblici te presenteia com um espetáculo de cores e perfumes que nós brasileiros não estamos acostumados.

Giardini Pubblici em Porta Venezia

Giardini Pubblici em Porta Venezia

Colado no Giardini Pubblici, fica a Villa Reale, que tem um dos jardins posteriores mais lindos de Milão e é um deleite o ano todo. Um cartaz no portão de acesso diz que a entrada é consentida só para adultos com crianças, mas sexta-feira não tinha ninguém controlando e eu entrei rapidinho para tirar essa foto.

villa reale milao parques

Jardim posterior da Villa Reale

O outono, e mais especificadamente os meses de setembro e outubro, é como a calmaria antes da tempestade, que no nosso caso é o inverno rígido.  São aqueles dias que ainda é prazeroso passear pelas ruas e sentar-se do lado de fora de um restaurante  na zona dos canais (Navigli), único curso de água da cidade. Em dias de sol, o reflexo na água é lindo, mas também tem seu charme em dias mais frios, quando é coberto pela típica neblina milanesa.

O bairro dos canais (Navigli)

O bairro dos canais (Navigli)

E o que dizer do nosso maior símbolo, o nosso Duomo, que impera no centro da cidade e tanto nos dias de sol no outono, quando a luz reflete no seu esplêndido mármore de Candoglia meio rosa meio branco, quantos nos dias mais frios de neblina, não deixa nunca de encantar turistas e locais.

O Duomo de Milão coberto pela neblina

O Duomo de Milão coberto pela neblina

Mas como Milão, eu não canso de dizer, é uma cidade pouco óbvia, seus encantos no outono estão também em lugares (infelizmente) pouco explorados pelos turistas, como o meu adorado claustro da igreja de Santa Maria delle Grazie, que é aberto ao público. Ainda que suas árvores não mudem de cor intensamente, é um dos lugares mais tranquilos no centro da cidade e perfeito para a contemplação da maravilhosa arquitetura exterior da igreja.

Uma outra opção para o turista é a linda Villa Necchi Campliglio. O acesso  ao jardim e a cafeteria é gratuito e até que as temperaturas permitam, sentar para ler o jornal e tomar um café ao lado da piscina (umas das primeiras particulares em Milão nos anos 30) é um verdadeiro prazer, como mostra a foto que tirei ontem.

parques milao

O jardim com piscina da Villa Necchi Campiglio

Conclusão, seja pelas belas cores e pelas temperaturas externas ainda suportáveis, o outono pode ser um ótimo período para você conhecer e se encantar por Milão.

Fotos: Milão nas mãos – exceto Duomo (internet)

Para ver os demais posts da Blogagem do Outono Europeu, visite:

Alemanha! Porque não?
Conexão Paris
Londres para principiantes
Passaporte BCN
Turomaquia

 

Os parques e jardins de Milão

É bom começar avisando que Milão não pode ser considerava uma cidade verde. Não sou uma especialista no assunto e não fiquei debruçada nas estatísticas dos metros quadrados verdes da cidade, mas é só você viver aqui para se dar conta disso.

Dito isso, não quer dizer que não temos os nossos parques e jardins, maiores ou menores, mais ou menos frequentados por turistas e locais. Aliás, os parques são muito frequentado pelos milaneses, já que são a nossa praia e depois de longos e rígidos invernos, não é difícil ver a população de shorts e até biquínis tomando sol deitada nos gramados.

Também, são os melhores lugares para um pic nic com as crianças e amigos, uma pedalada ou uma corridinha. Se você estiver passando por aqui como turista, pode aproveitá-los também para uma pausa entre um passeio e outro.

Aqui, as dicas de parques em Milão mais acessíveis aos turistas:

Parco Sempione

Talvez seja o parque dos parques. Fica atrás do Castelo Sforzesco e não tem como não passar por alí. O parque era na Idade Média, o bosque particular da família Visconti, onde os duques levavam os hóspedes para caçar. Naquela época a área verde era muito maior. O parque foi reformado e se tornou público com a restruturação do castelo no século 19.

parque milao

Parque Sempione

Além da opção de sentar ou deitar para relaxar ou fazer um pic nic, alí ficam também o prédio da Triennale, que alías tem seu próprio jardim posterior, onde no verão é possível fazer um happy hour no Bar Design externo, a Torre Branca (onde você pode subir para ver Milão de cima), o Arco della Pace (O Arco do Triunfo milanês,  mandado construir por Napoleão para a entrada dele na cidade) e o Aquário Cívico  que pode ser uma boa opção para quem está com a criançada.

triennale milao

O jardim da Triennale

O parque também conta com conexão WiFi, uma área de brinquedos para crianças e, além dos quiosques- barzinhos, tem também o Bar Bianco.

Bar quiosque no parque Senpione

Bar quiosque no parque Senpione

Giardini Pubblici di Porta Venezia

O meu preferido, seja pela zona  ou porque é mais frequentado pelos locais.

Giardini Pubblici em Porta Venezia

Giardini Pubblici em Porta Venezia

O parque mudou de nome (se chama Giardini Pubblici Indro Montanelli), mas os milaneses continuam a chamá-lo assim, já que fica localizado em um dos lados da avenida monumental (Corso Venezia), acesso de entrada da família real austríaca quando eram os regentes de Milão.

Construído entre 1782 e 1786, foi o primeiro parque público da cidade e ainda hoje é muito frequentado pelos milaneses.

A fonte do Giardini Pubblici em Porta Venezia

A fonte do Giardini Pubblici em Porta Venezia

Possui 3 áreas de brinquedos para crianças, um pequeno parque de diversões com carrosel e bate-bate, laguinhos com patos e hospeda o famoso Museu de História Natural e o Planetário da cidade.

Giardino della Villa Reale

Como diz o nome, é o jardim posterior da Villa Reale, que fica ao lado dos Giardini Pubblici, e que hoje é sede da Galleria di Arte Moderna, um dos museus gratuitos da cidade e que vale uma visita.

O jardim é lindo, não muito grande, com uma pequena área de brinquedos para crianças, mas tem uma das particularidades mais estranhas da cidade: o acesso aos adultos só é consentido se estiverem acompanhados por menores de 12 anos.

O Jardim Da Villa Reale

O Jardim Da Villa Reale

Eu sempre entrei com as meninas, mas um dia juro que vou tentar entrar sozinha para ver se alguém me barra.

Parco delle Basiliche

Antigo lugar que a Inquisição usava para queimar as bruxas milanesas, mais que um parque propriamente dito, é um grande gramado que fica entre as basílicas de San Lorenzo e Sant’Eustorgio. Mas é comum ver locais deitados no gramado tomando sol e conversando.

O Parco dele Basiliche, com a Basilica de São Lourenço ao fundo

O Parco dele Basiliche, com a Basilica de São Lourenço ao fundo

Giardini della Guastalla

Outro jardim da cidade, desconhecido pelos turistas e também por alguns locais. Localizado atrás da famosa Ca’ Granda, hoje sede de algumas faculdades da Universidade Estadual, é ideal se você quer um lugar tranquilo para repousar com uma sombrinha e aproveitar a leitura de um bom livro.

Giardini della Guastalla - Foto Stefano Trezzi/Wikicommons

Giardini della Guastalla – Foto Stefano Trezzi/Wikicommons

Além desses, a cidade também conta com outros parques em zonas menos frequentadas pelos turistas como: Bosco in città, Parco Forlanini, Idroscalo e os parques de alguns bairros. Clique nos links abaixo para acessar os mapas dos parques citados.

Parco Sempione

Giardini Pubblici Indro Montanelli – Porta Venezia

Giardini della Villa Reale

Parco delle Basiliche

Giardini della Guastalla

Boscoincittà – Parco di Trenno

Parco Forlanini

Idroscalo

Fotos (onde não especificado): Milão nas mãos