Uber em Milão: melhor não

Faz um tempo que vinha pensando em escrever um post sobre Uber em Milão e acabei decidindo fazer isso agora, de volta de uma estadia em São Paulo onde confirmei mais uma vez como o serviço pegou por lá e os brasileiros são adeptos do aplicativo.

Aqui na Europa no geral, a minha impressão é que a percepção e recepção do serviço é bem diferente. Lembro que em 2015, cheguei em Paris bem no dia dos protestos dos taxistas contra o Uber com direito a carro queimado no meio da rua.

Na Itália, nos meses seguintes, o fortíssimo sindicato dos taxistas também foi bem atuante e a polêmica continuou.

Isso quer dizer que não existe Uber em Milão ou na Itália? Sim, existe, mas é como se ele fosse considerado pelos locais como um serviço ilegal, não regulamentado.

Dito isso, vou direto ao ponto desse post curtinho: Uber em Milão não funciona bem e não é mais barato que o táxi, já que aqui estão disponíveis só as opções: black, lux e van.

Numa simulação feita por mim no aplicativo para uma corrida do centro de Milão para o Aeroporto de Malpensa, a tarifa é de 148 euros. Um táxi normal cobra em média para o mesmo trajeto entre 110-120 euros.

Outra simulação que fiz foi do trajeto San Siro – Duomo, que tinha feito dias antes e pago 20 euros contra os 23 euros do uber black.

A minha experiência não é direta, já que não uso o serviço, mas já tive vários clientes de tour que comentaram de motoristas pouco experientes com os trajetos e até perdidos ou tempo de espera longos já que a frota é bem reduzida.

Resumindo: em Milão, que é uma cidade relativamente pequena, se você tiver hospedado um pouco mais fora do centro e não quiser pegar o metrô, que funciona muito bem e é fácil de usar, prefira um táxi, que o hotel mesmo chama para você.

Se a viagem for de volta para o hotel, saiba que os táxis têm que ser pegos em pontos (eles não param na rua se você chamar) ou chamados pelos aplicativos: it Taxi (toda Itália) e My Taxi (Milão e Roma).

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *